Reli trechos de Maktub, livro bem-sucedido de Paulo Coelho e reencontrei trechos que um dia deixei sublinhados. Num desses, uma história de fazer-nos pensar.

E é por isso que sugiro a nós todos que de tempos em tempos olhemo-nos no espelho das rotinas e pensemos... E se tivermos coragem, vamos concluir: estamos muito repetitivos e chatos, sem graça mesmo.

Todos nós nos repetimos em quase tudo, andamos em círculos e  não vamos longe. Sim, sei, isso faz parte da condição humana, sei bem. E sabemos, claro, que a rotina nos facilita a vida, o trabalho, tudo, mas...

A rotina é uma repetição que nos cansa sem nos darmos conta e cansa os que convivem conosco. É por isso que é interessante o despir-se, o despir-se de muito do que costumamos ser no dia a dia. Quase sempre chatices em círculos, chatices para nós e para os coitados que vivem perto de nós.

Voltando ao Maktub. Nele há uma historieta interessante, contada por uma jornalista. Havia um encontro social, um coquetel, promovido por uma empresa americana em Nova Iorque. Muita gente. E num canto, um pianista fazia o fundo musical da festa. Os convidados nem aí para o pianista, ele tocava e ninguém o ouvia. Até que... Uma mulher, uma “metida”, foi até ao pianista e sussurrou no ouvido dele: - “Que música chata tu estás tocando, por que não tocas só para ti”? Quando ela voltou a juntar-se ao grupo a música já era outra e... todos pararam de conversar, os ouvidos estavam sintonizados na música... Ué, o que acontecera?

O pianista simplesmente seguira o conselho, passou a tocar as músicas que o encantavam, músicas asseadas e não músicas para “multidões”, tipo essas que as nossas emissoras de rádio tocam o dia todo, insuportáveis pela falta de qualidade. O pianista da festa estava tentando agradar a todos e se desrespeitara.

Quando seguiu sua alma e gosto conquistou a “plateia”. Quantos de nós fazemos parecido tentando agradar aos outros com modos errados? Se não nos mutilarmos moralmente numa mudança, mudemos. A rotina embota e o querer agradar a todos sempre e por igual leva à desgraça de um talento. E para começar a mudança precisamos nos despir... nos despir do que não nos cai bem. Bah, um monte de coisas...

Irritação

E os borra-botas continuam se queixando do governo... A manchete era esta: - “Falta profissional qualificado”. A notícia tratava das dificuldades do mercado empregador em achar pessoas que valham a pena, saibam fazer bem-feito um trabalho, seja qual for. E a notícia terminava assim: - “Apesar da falta de qualificação, segundo Câmaras Lojistas 58% dos desempregados ouvidos na pesquisa disseram que não pretendem investir em capacitação”. Então, curtam a miséria!

Verdade

Ando por shoppings e falo muito com donos de lojas. E de “todos” ouço o mesmo: eles anunciam que recebem currículos nas segundas e terças-feiras. Os vadios vão em peso na... terça-feira. Segunda é dia de descansar do fim de semana, dos porres e orgias. Desempregados e ordinários. Quem ler as entrelinhas dos comportamentos que andam por aí, desaba, quase só safadas e safados. Melhor a essa gente é mesmo o olho da rua.

Falta dizer

Parando para pensar... Ouça esta do livro Sucesso, Paz Interior e Felicidade: - “O chamado Deus dos exércitos está sempre ao lado da nação que tem a melhor artilharia e os melhores generais”. Ou você já ouviu dizer que quem não tem as melhores armas ganha as guerras? Vai ver...