Ela é jovem, bonita, uma dessas “gatinhas” das novelas da Globo, e aparece nos intervalos da programação anunciando um produto na televisão... A certa altura dessa publicidade, ela diz que: “Toda mudança por fora começa por dentro”. Não retoco em nada a frase, apenas acrescento que é exatamente o contrário do que faz a maioria. As pessoas, por maioria, buscam transformar o corpo por fora para se sentir melhor por dentro. A conta nunca vai fechar. Ou você se aceita por fora ou nada feito. Uma pessoa de autoestima baixa, daquele tipo que se olha no espelho e lamenta ter nascido, que não gosta do nariz, do queixo, das orelhas, dos olhos, do cabelo, de nada, esse tipo de gente você pode mudar o corpo todo, não vai adiantar. O que nos faz bonitos ou feitos não é o espelho, é o modo como vemos a imagem refletida pelo espelho. Na verdade, o espelho é um reflexo não da imagem refletida, mas da cabeça de quem nele se olha. “Ah, Prates, mas que coisa mais brega tu estas dizendo, que conversa de livro de autoajuda daqueles vendidos ali na rodoviária!” Não lhe vou rebater, leitora, é assim mesmo que a maioria pensa. Agora, que fique claro: se eu não for bonito por dentro, nunca o serei por fora. Que horror ter que dizer isso. Fico imaginando um homem de qualidade, um cara que subiu existencialmente na vida (não falo em saldo bancário) se vai aceitar ter ao seu lado uma mulher vazia, fútil, mas lindona no corpo físico. Bolas, só se fosse um estúpido, o que não seria o caso. Vale para as mulheres que são Mulheres. A beleza das pessoas vem de dentro, que horror ter que repetir isso, mas é a mais santa das verdades. A beleza cansa, e dizem que ela não põe mesa. E não põe mesmo. Enfim, toda mudança por fora começa por dentro, a publicidade da garota da Globo tem toda a razão. Mas eu sei que a maioria vai continuar procurando por “preenchimentos”, cirurgias erradas, tóxicos de todo tipo para envenenar o corpo em busca de uma beleza que se não estiver na cabeça nunca será encontrada no rosto ou nas pernas... Deu. Perdi meu tempo.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO