Reencontrei-o dia destes. Era o mesmo. Cultíssimo, provocativo nas palavras, homossexual assumido e por isso muito castigado, chegou a ser preso. Chegou a ser preso? Mas como?

Ah, quase esqueço, estou falando de Oscar Wilde, o irlandês que desafiou o seu tempo, ele morreu em 1900, aos 47 anos, se bem me lembro.

Reencontrei o Wilde, é claro, em páginas de livros. Faz muito tempo que o li, mas algumas coisas ficam, por exemplo, uma das suas tantas frases cáusticas.

Oscar Wilde disse num dos seus livros de contos que – “Sou contra os noivados muito prolongados. Dão tempo às pessoas para se conhecer melhor, o que não me parece aconselhável antes do casamento”. Sarcástico, mas admirável.

Aliás, hoje ninguém mais sabe o que é noivado, aquele período depois de um alongado namoro, em que os pombinhos celebravam um compromisso, alianças na mão direita e começavam a preparar o enxoval para o casamento.

Enxoval, mas o que é isso hoje, quem sabe dizer? Trapos, isso sim, juntam os trapos, se amontoam, se amasiam e dizem-se casados. É a vida moderna.

Durante muito tempo nas minhas palestras, aqui mesmo ou nos comentários de rádio que faço para o Brasil, disse e repito que a descoberta dos modos, valores, jeitos de ser dele ou dela precisam ser descobertos “antes” do casamento.

Só uma boa afinidade de valores pode preservar a união e isso hoje é coisa raríssima, antes de tudo pela pressa nos ajuntamentos.

O Wilde disse de modo irônico uma provocadora verdade, ele não era tonto, tanto que era perseguido pelos estúpidos de sua época. Bem como hoje, nada mudou, Wilde, nada.

O que o Wilde diz vale para tudo, para os negócios é indispensável, fechar os olhos e assinar um contrato é tombo na certa.

Quem é o outro, quem são os parceiros? Mas não é conhecê-los pelas colunas sociais, pelos saldos no banco, é conhecê-los pelo caráter. E esse conhecimento leva tempo, o mesmo que acontece nas relações “amorosas”.

A pressa é inimiga da perfeição e há um outro ditado que não o cito, pode haver erro de digitação e aí seria um escândalo. Mas é isso, que tem pressa...

Wilde tinha toda razão e olhe que ele nasceu lá pelos anos de 1800... E já havia risco nos casamentos apressados, imagine hoje...

Conversa

Na verdade, não foi uma conversa, li sobre o sujeito numa reportagem de jornal. E ali se dizia que ele morreu sem ter tido jamais um inimigo. Essa não, companheiros, inventem outra.

Quem morre sem ter um único inimigo nada foi na vida, é condição da vida ter inimigos e mais ainda quando se é alguma coisa. Quando se vence na vida, os “amigos” não perdoam, tornam-se inimigos...

Moda

Moda pressupõe-se roupas. Nesse caso, os homens dão falência às lojas, já as mulheres são a alma dos “modistas”. E porque a moda muda todos os anos?

Ora, para dar lucro aos que pensam e vivem da moda, eles sabem que as mulheres irão atrás das novidades da estação.

A ênfase que vem agora é para as roupas de inverno, como se aquele velho casacão de 20 anos atrás não quebrasse o galho. Os trouxas sempre enriqueceram os espertos...

Falta dizer

Sabes quem é que está de plantão 24 horas? O despudor. Bah, de cara lavada...

Li num site de jornalismo uma “famosa” contando da primeira noite dela com um DJ, um abestalhado que me disseram ser apreciadíssimo. Ela contou detalhes e disse que passou mal.

Que falta de “chinelo” na infância, despudorada.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul