É isso mesmo, tem sido um chover no molhado a luta de muitos para que as mulheres, por maioria, acordem. As mulheres são a força do capitalismo, as geradoras de filhos, as mais competentes nas medições das múltiplas inteligências da Psicologia, elas sustentam as famílias, não necessariamente o sustentar econômico propriamente dito, mas o sustento moral e de lutas sem cansaço... Tudo isso sem falar que as mulheres são maioria eleitoral, 52.65%. Vale dizer, elas podem mudar, pelo voto, o Brasil na hora em que bem entenderem.

O poder é feminino e é por isso que os broxas as surram e matam, é por se sentirem menores, nadas existenciais, sem fibra e pouca inteligência, que eles fazem o que fazem. Mas não fazem entre eles, aí eles se acolhem... Ontem ouvi uma “diferente” dizer que as mulheres não devem casar sem antes ter a mais absoluta segurança sobre dois alicerces: a independência material e a emocional; vale dizer, a mulher não deve entrar numa relação onde ela será “sustentada” por um homem, tampouco deve silenciar seus valores emocionais e morais. Ela tem que ser ela, independente, e a união entre os “pombinhos” só pode valer se for por amor, respeito e independência. De outro modo será corda no pescoço da mulher. Sacrossanto, e as famílias não fazem nada para educar suas filhas para o “ser” e não para o “depender”?

Já disse aqui que se as mulheres baterem o pé e fizerem greve de um ou dois dias sobre consumo, a economia do mundo quebra, vai à falência. As mulheres respondem por 75% das vendas no planeta. Vendas sobre de tudo um pouco. Pouca gente sabe, por exemplo, que elas são o “motor” da indústria automobilística. Nos Estados Unidos, a terra dos automóveis, elas respondem por 60% das vendas, no Brasil por 45%... E estamos num crescimento que faz os “machinhos” repensar seus Viagras... Ah, esquecia, nos primeiros dias de namoro a mulher já deve deixar bem claro para o “apaixonado” que violência é causa pétrea a levá-los à separação. Que o covarde jamais ouse. Isso tem que ficar bem claro já no primeiro dia. Será que essa revolução vai acontecer? Duvido! Então, não se queixem... Os homens que são Homens me entendem...

ELAS

Ouça esta manchete: - “O que está por trás do terrível surto de suicídios entre mulheres na Índia”? Ora, sofrimentos. As mulheres pobres ou classe média sofrem pressão para engravidar, são forçadas a casar cedo, casamentos “arrumados” pelas famílias, abuso doméstico e falta de autonomia financeira. É pouco? De modo mais discreto, há muito disso por aqui. Na Índia muitas estão pensando e decidindo entre liberdade e vida ou morte... Horror!

BONECAS

Que os pais parem de dar bonecas para as meninas. Por que não dão bonecas também para os guris, afinal, eles não vão ser pais? Por que o “condicionamento” desde o berço às meninas? Sabemos bem das cobranças feitas às mulheres que casam e vão deixando para depois a maternidade. É um sonoro tambor batido nos ouvidos delas, têm que engravidar e parir... Liberdade e igualdade às meninas.

FALTA DIZER

Alianças de noivado e casamento são bonitinhas, não é mesmo, leitora? Pois é, mas a origem é tétrica. Vem dos tempos em que as mulheres eram marcadas com argolas nos dedos ou algemas nos punhos para que fossem identificadas como propriedade de um “homem”. O tempo passou e a safadeza mudou de aparência, só isso. Eles, sempre que podem, põem as alianças no bolso, isso quando as usam...