O texto religioso diz que – “O que é já foi e o que foi será”... É um modo de dizer que as coisas se repetem, e parece mesmo que se repetem, mas é engano. O sol de hoje não é o sol de ontem, e o sol que vai nascer amanhã nada terá com o sol de depois de amanhã. As coisas não se repetem não. Elas parecem vestir a mesma roupa em muitos momentos, mas é engano nosso, engano ou desejo. Um engano que procuramos preservar na ânsia de esperar no hoje ou no amanhã a felicidade de ontem... O que quero dizer, leitora, leitor, é que o que vivemos num determinado tempo e que acabou por um abalo de confiança ou algo parecido nunca mais será a mesma coisa se um dia tentarmos reatar ou reatarmos os laços. Isso vale para o amor, para as amizades, para os vínculos profissionais, para tudo. A taça trincada nunca mais será a mesma, e muito menos a taça quebrada... O que quero dizer é que muita gente tenta voltar ao passado vivendo no hoje. Impossível. A empresa onde você trabalhou, fez amigos e dela saiu com cara amarrada e deixando cara amarrada nos empregadores, por favor, não tente voltar e viver da mesma “felicidade” do passado. Você pode voltar, mas nada e nunca mais será a mesma coisa. Vale ainda mais para o casamento. Depois de uma ruptura não tentemos mais tarde um reatamento, um recomeço. Haverá as lembranças, os medos, as reticências e no mínimo motivo para uma rusga haverá um cava discussão e briga. É o passado fustigando, relembrando, cobrando e até querendo “vingança”. Ainda mais se teve traição envolvida. Vale para as amizades? Claro que vale, afinal, amizade que é amizade não termina, não se abala. Se houver abalos, falta de confiança num certo momento, fim, acabou. Melhor é procurar por novos amigos. Enfim, com tudo na vida, acabou, acabou. Triste? Muito triste, mas infelizmente é assim. Nada pior que a desconfiança depois de termos vivido as certezas...

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO