Foto Arquivo
Foto Arquivo

O ser humano anda em círculos, ainda não achou a saída. Só espero que você não me pergunte que saída... Ora, a saída que Adão e Eva procuraram e não acharam, a saída para as inquietações da mente.

Não há dinheiro, poder ou o que for que nos aquiete a mente. E o que mais nos tira o sono é a consciência da finitude.

Essa “consciência” nos lembra o tempo todo que, sejamos quem formos, há um prazo de validade nos esperando numa esquina... O diacho é saber dessa esquina e desse prazo.

Já fui longe e ainda não disse a que venho. Rotina. Li, pela centésima vez (modo de dizer), sobre ações que devemos adotar para ter saúde mental. Como se isso fosse possível, seres humanos são uns transtornados mentais incuráveis. – “Ai, cara, tu não tens nada positivo para dizer”?

E a verdade, por acaso, não é a mais positiva das verdades?

Como disse, acabei de ler, e mais uma vez, sobre – “Os Sete hábitos para ficar em dia com a saúde mental”. Antes de tudo, é bom dizer que não há, não pode haver, fórmulas coletivas para a saúde mental, e pela singela razão de que os humanos, nós, não somos coletivos.

Podemos precisar de pessoas, podemos achar interessante morar perto de certas pessoas, mas não somos coletivos, somos uma formidável individualidade, solitária e irremediável. De qualquer sorte, é bom conhecer os “placebos” mentais.

Descrevendo-os numa lista rápida, os sete hábitos para a saúde mental, expostas num site de notícias, são: Leitura, meditação, desabafos, autocontrole, menos é mais, e organização. Então, vamos lá, rapidamente.

Leitura enriquece a mente, os conhecimentos, os saberes, mas não nos dá paz ou inteligência emocional, não dá... Desabafar inquietações ajuda, só ajuda... Autocontrole não se aprende com ninguém, ou temos ou não temos.

Ademais, o controle ou o descontrole depende dos nossos valores na vida... Menos é mais significa que precisamos de muito menos do que pensamos na vida, bem menos.

O consumismo é vício e provoca neurastenias... Organizar-se faz ou não parte da pessoa, não se aprende jamais... O grande lance dessa lista é a Meditação, que simplesmente significa trocar os pensamentos. Aqui está a felicidade.

Quem medita esvazia a mente, esvaziando a mente somem as preocupações, as encrencas. Fácil. Ah, é? Então, tente... Somos casos perdidos. Ou não...

Unhas

Fiquei sabendo e extremamente irado. Um professor de um curso de Medicina Veterinária lembrou aos alunos da importância vital de cortarem bem as unhas, tê-las bem curtinhas, faz parte da higiene e evita problemas... O professor quase foi surrado por ordinárias... Tem cabimento? E como é que você vai confiar mais tarde na “sua” veterinária? Ah, antes de tudo, olhe bem para as unhas dela. Certo? Acho muito bom. Pobres dos bichinhos!

Ansiedade

Ansiedade sempre fez parte da condição humana, ansiedade é o apelido feminino do medo. Medo do vago, do incerto, do não claramente identificado. Acabei de ler, vivo mexendo nesse entulho, um artigo sob o título: -

“Cinco técnicas de respiração para amenizar a ansiedade”. É o que vivo dizendo, se você tira a mente das encrencas, distrai-se e daí em diante some o medo, a ansiedade. Não é a respiração em si que alivia, é a mudança dos pensamentos.

Falta Dizer

De uma feita andei de trem na Alemanha. O trem parava por um minuto nas estações. Em um minuto, pessoas embarcavam e desciam dos vagões. Aqui, no aeroporto de Florianópolis, os vacilões querem mais de 10 minutos para sair ou embarcar nos táxis. Mandriões da lerdeza.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger