Não vou nem fazer rodeios, você já matou a charada: vou falar de psicologia. Claro, como tu me conheces, já sabes que costumo chamar a Psicologia de bruxa má. E a chamo assim pela singelíssima razão de que a Psicologia não nos costuma levar para compadres, não nos serve, jamais, de fada madrinha. Ela é bruxa má mesmo, puxa-nos as máscaras de que nos valemos para nos esconder, de nós e dos outros...

Vamos lá. Acabei de ler uma frase tirada de uma entrevista com um senhor que faz décadas trabalha na mesma empresa, um exemplo de cidadania, profissionalismo, dignidade, competência e ética. Um sujeito singular. Ele disse na entrevista, sobre sua longevidade no trabalho, que – “O segredo da minha vida, dentro e fora do trabalho, é não pensar no futuro, é pensar no hoje”.

Essa frase me remeteu de imediato à Psicologia, onde aprendemos que vivemos num mundo de “diferentes percebedores”. Ninguém, absolutamente ninguém, vê, percebe qualquer evento, objeto ou vivência do mesmo modo, ninguém. Já se sabe, de há muito, que uma mãe de três filho é três mães, cada filho a vê, a percebe de um modo todo seu, particular; ainda que todos descrevam a mesma mãe com palavras “parecidas”, não mais que parecidas.

Aliás, dizendo isso, lembro de Chico Xavier que, num dos seus livros, Pérolas do Além, disse que – “Cada um de nós abrange a paisagem de acordo com o degrau em que se encontra na escada evolutiva”. Bah, na mosca, creio nisso como creio no sol do meio-dia...

Pois bem, quando o tal senhor, longevo e bom exemplo, disse que o segredo de uma vida plena é não pensar no futuro, viver o hoje, ele não quis dizer que devemos ser levianos de não pensar no futuro como futuro e sair por aí gastando de tudo um pouco e nem aí para o amanhã... Muitos entenderam assim. Não pensar no futuro significa viver plenamente o hoje e... como consequência ter um bom amanhã. Quem pensar no hoje produzindo o seu melhor, terá um amanhã tranquilo, é isso. O que temos hoje é o resultado das coisas boas que fizemos “ontem” e ontem era o hoje daquele momento. Tão simples, mas... cada um abrange a paisagem, isto é, entende a vida, de acordo com o degrau em que se encontra na escada evolutiva. Psicologia e Chico Xavier...

Verdade

Ninguém admite ser um safado, uma trapaceira, ninguém. Mas... se a pessoa for de fato uma pessoa boa, competente no trabalho, educada, ah, vai ter muitos desafetos, conhecidos ou desconhecidos. Qualquer pessoa que faça sucesso na vida vai levar muitas pancadas, será vitima de maledicências de várias maneiras, é o preço a ser pago por essa pessoa estar acima da média que anda por aí. Mas é a velha história: enquanto os cães ladram, a caravana passa. Gentalha se olha pelo retrovisor...

Estupidez

Estupidez é essa lei bastarda que anda por aí e que estabelece restrições de aproximação de homens violentos às suas ex mulheres. Aquela coisa de o sujeito não poder se aproximar da ex-mulher por um espaço inferior a 100 metros. Ora bolas, o cara não presta, é um macho/joaninha, impotente, frustrado e covarde, claro que ele vai desrespeitar a lei. Um sujeito assim, que faz ameaças à ex, tem que ser procurado por alguns “amigos” dela... Para uma conversa, é claro... E Ele vai trocar as fraldas...

Falta dizer

Queres subir degraus na empresa onde trabalhas? Faz tudo do melhor modo, antecipe a realização de tarefas e faça também do que não lhe é de obrigação. Sucesso garantido, e invejas espumantes...