A manchete está, mais uma vez, diante dos meus olhos. Ela é velha, mas... continua viçosa, nos desafiando. Antes de dizer dessa manchete, que já esteve por aqui em outros momentos, preciso lhe fazer uma pergunta: - Você sabe onde mora a infelicidade? Bah, acertou na mosca, é isso mesmo, a infelicidade mora junto com a felicidade, ambas têm cama e mesa na nossa cabeça, no que pensamos e em como vivemos. Irmãs gêmeas.

A manchete de que falei leva-me a uma outra pergunta. A pergunta é: - Supondo que você estivesse esperando por uma alta soma em dinheiro, uma velha dívida, e recebesse do banco a informação de que o dinheiro acabara de ser depositado, você ficaria com medo? Aposto que não, ninguém fica com medo de uma certeza maravilhosa...

Agora a manchete, a velha manchete, uma pesquisa da DataFolha – “97% dos brasileiros creem em Deus”. Você acredita nessa pesquisa? Só se for um ET, uma pessoa de outro mundo. O que acontece é as pessoas dizerem com os lábios, não com o coração da certeza e da fé, que acreditam em Deus, não acreditam coisa nenhuma, elas se desmentem nas ações.

Se as pessoas que se dizem crentes cressem, o mundo seria outro. É como aquela história do dinheiro que você tinha a receber e que o banco acabara de lhe informar que estava na conta... Você fica em paz. Se de fato as pessoas acreditassem na existência de Deus viveriam em paz, afinal, quem seria idiota de pecar para perder os direitos aos abraços de Deus?  Quem iria preferir o inferno ao céu?

Todos os dias fico sabendo de algum religioso que está internado, crise de depressão, de síndrome do pânico, disto e mais aquilo, senão de tentativa de suicídio... Ora, quem de fato crendo em Deus vai entrar nessa espiral da estupidez, ainda mais sendo um “representante” Dele? O pessoal diz que crê, mas olhando para os lados... Bom, já contei aqui que os americanos descobriam que não há ateus nas prisões americanas, todos os biltres da pior espécie dizem crer em Deus, mas assaltaram, estupraram, mataram, fizeram o diabo... Ué, como assim?

Tenho certeza de que quando assumirmos nossas mentiras religiosas, o mundo será outro, um paraíso. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo!

Novidade

Num jornal de São Paulo – “Neurociência aprimora concepção de empreendimentos imobiliários”. No resumo, trata-se da “novidade” Neuroarquitetura. A explicação deles: entre os seus principais benefícios o de humanizar ambientes, por meio da aplicação de conceitos que induzem comportamentos positivos, gerando emoções e conexão, dentre outros. Ora, vão pentear macacos, isso não passa de Feng Shui com nome “trocado”. Não fiz Psicologia de graça...

Pergunta

Você pode me perguntar, então, Prates, não acreditas no Feng Shui? Acredito na harmonia dos móveis, suas linhas, posições na casa, suas cores, decorações de todo tipo, sim, acredito que isso nos anima ou deprime de modo inconsciente, as energias agem sobre nós queiramos ou não. Outra coisa é você construir apartamentos iguais, com cores padrões e esperar que isso produza o mesmo resultado em todo tipo de pessoa. Não produz. Personalidades e ambientes têm que casar, caso a caso.

Falta dizer

Americanos anunciam: - “Casa do futuro já é realidade”. Deus me livre de uma casa dessas! Tudo eletrônico, o que você imaginar funciona e tira a iniciativa das pessoas, mesmo a distância. Horror puro. A melhor casa é a casa de pessoas amorosas e em paz, onde o calor não vem do ar-condicionado, mas dos corações. Vida, essa a casa de todos os tempos.