Sim, a conversa é com elas; e elas, aqui, são representadas pela leitora que está disposta a me escutar. Claro, o leitor pode ouvir a conversa, ouvir... – Tudo bem, o leitor tem razão, qualquer assunto que diga do interesse das mulheres deve ser de igual modo do interesse dos homens, dos homens que valem a pena, óbvio.

Leitora, vou criar uma situação para exemplificar o que lhe quero mais tarde contar. Vou imaginar, pura hipótese, que você não seja uma pessoa de rir com facilidade. A piada tem quer ser muito boa para fazê-la rir, gargalhar nem pensar... E não se trata de mau humor, você apenas só acha graça quando de fato vale a pena. Certo?

Então, vamos imaginar que foi criada uma pílula para fazer as pessoas rir, gargalhar mesmo. Você tomaria essa pílula antes de ir a um espetáculo humorístico no teatro? Se tomasse a pílula, você morreria de rir de todas as piadas que mais tarde seriam contadas no teatro. Tomaria a pílula?

Não sei o que você pensa sobre essa hipótese da pílula para fazer a pessoa rir, não sei. Mas acho que já cheguei ao ponto de dizer a que venho nessa nossa conversa de hoje. É que um laboratório americano (não lhe digo o nome) está lançando no mercado uma pílula que visa a estimular a libido da mulher, uma espécie de Viagra feminino. Os americanos calculam entre eles um mínimo de 6 milhões de mulheres, casadas, que dificilmente “acham graça” no ato sexual.

A pílula na verdade é uma injeção que a mulher deve dar em si mesma 40 minutos antes do ato sexual, injeção na barriga ou numa coxa. E aí, leitora, farias essa estupidez? E sabes por que digo o que digo?

Porque ninguém me vai convencer que uma injeção vai fazer uma mulher ficar festiva, feliz, ardente por sexo sem que essa ardência, esse desejo, não lhe venha “naturalmente” por amor... Artificializar o desejo é como dar uma pílula para alguém achar graça de uma piada...

Duvido que uma mulher apaixonada, sentindo-bem com o companheiro, uma mulher com amor vá precisar de artifícios para o sexo. Bolas, as que não estão nem aí é porque não estão nem aí para a situação que as envolve... Fui claro? Idiotas mercantilistas acreditam que podem criar uma injeção para o amor, idiotas!

 

Postura

Quem não disciplina a língua vai apanhar muito na vida. É bom lembrar que quando meus lábios falam o que bem entendo, meus ouvidos vão pagar o pato... Quem diz o que quer, ouve o que não quer.

As pessoas educadas sabem disso. As toscas, maioria, continuam dizendo – “Digo o que penso e não vou mudar”. Desprezíveis!

 

Espertos

Espertos uma ova! Ouça esta: - “Menos de 10 em cada 100 jovens que cursam o ensino técnico em Santa Catarina têm trabalhado na área em que se especializaram logo no início da carreira”. Quem diz isso é a Fundação Getúlio Vargas.

Nenhuma novidade. Sei que 80% dos que estão nas universidades neste momento não sabem o que lá estão fazendo nem o que vão fazer depois. Pensam que sabem, os parvos. Como é que “outras coisas” sabem direitinho...? Sonsos.

 

Falta Dizer

Pesquisas, estudos repetidos, fazem-nos saber que menos da metade dos diplomados em universidades estão hoje atuando nas áreas em que se formaram.

Por quê? Obviamente, porque foram levianos na hora de escolher a faculdade, pensar no futuro e ter um sonho, um foco, um plano de vida. Todos metidos