Tenho visto gente com muito dinheiro e completamente fora da “casinha” da vida. E também tenho visto gente pobre e que parece nos provocar com sua felicidade. Como pode, o que explica? É sabido que se houvesse genética para a felicidade, os ricos seriam incondicionalmente felizes desde o nascimento ao último suspiro, e os pobres estariam condenados à infelicidade exatamente por nascerem pobres. Graças a Deus, não é assim. Aliás, já houve quem fizesse, no silêncio dos porões do crime, experimentos visando a que tivessem certeza sobre a genética das aristocracias da inteligência, por exemplo. E com essa intenção, “cruzaram” mulheres excelentes, em quase tudo observável, com homens de iguais talentos... Resultado? Filhos pífios ou “incapazes”... Qual foi então o resultado da “experiência”? Que é inútil tentarmos “produzir” gente feliz, inteligente ou talhada para certas artes e elevadas realizações... E se você me perguntar onde fizeram essas tais “experiências”, respondo que não sei... mas que fizeram, ou as estão fazendo agora, sem dúvida. Só ingênuos para não acreditar nisso. Mas que bom, não há como “produzirmos” ou garantirmos felicidade para ninguém... Qual então seria o caminho para essa realização na vida? Há muitas especulações. Uma delas, por exemplo, diz que sinônimo de “destino” é pensamento. Sim, destino e pensamento, para muitos, são irmãos gêmeos, univitelinos. Uma pessoa com pensamentos limpos, no mais do tempo, uma pessoa que pense de modo saudável, vendo-se capaz de qualquer realização, independente de situações ou adversidades, sente-se bem, pode ser o que quiser na vida. Tem potencialidades para isso. Nesse caso, esse tipo de pensamento produz o “destino” da pessoa. Mas o que mais encontramos pelas esquinas, todavia, são pessoas olhando para baixo, ainda que bem-nascidas e com dinheiro sobrando no banco. Pessoas que veem a casca e não veem a banana... E o que estou dizendo não quer dizer que pessoas “naturalmente” positivas não tenham maus pensamentos, claro que elas têm. Mas essas pessoas costumam olhar mais para cima que para baixo nos horizontes da vida. E, em sendo assim, podem ser pobres, bem pobres, mas são felizes. Já os que andam na contramão desse tipo de vida, podem ter o que tiverem, morrerão mordendo a língua. O modo de pensar faz-nos o destino. Pelo menos o destino da felicidade. Cuidado, se alguém aí em casa anda se queixando muito da vida, dos reveses, é bom dar uma olhada no modo como tem pensado a vida... REALIZAÇÃO Todos temos sonhos, queremos isso, queremos aquilo, mas... É preciso antes saber-se ou não competente para o sonho. Três são as virtudes necessárias: Saber, Poder e Querer. Muita gente quer e não pode, pode e não quer, sem falar nos que carecem dos saberes para chegar ao sonho/desejo. Um bom “espelho” costuma ajudar... FALTA DIZER Volto ao mantra: qualquer jovenzinho que “devore” um jornal por dia poderá ser o que quiser na vida, e antes disso vai pôr a correr os “coleguinhas”. Jornal e “passaporte” são sinônimos.