No artigo anterior, falamos sobre implantes de uma maneira geral, hoje tentarei responder algumas das principais perguntas que chegam em nossa clínica, até porque existe muita informação duvidosa ou tendenciosa nas mídias.

Os implantes unem-se ao osso rapidamente permitindo próteses em poucas horas ou dias?

Não. Existem diferentes tempos para que os implantes unam-se realmente ao osso (osseointegração), isso varia conforme o arco, seja superior ou inferior, disponibilidade e densidade óssea, se for feito enxerto ósseo ou não e a tecnologia que o implante possui.

No mercado hoje temos disponíveis sistemas de implantes que fazem a união ao osso em 21 dias de contato, porém os sistemas convencionais geralmente pedem de três a seis meses para obter a osseointegração.

E as técnicas anunciadas de implantes em 48 horas?

O fato de os implantes não completarem a osseointegração não impede que a prótese seja instalada antes desse prazo, em situações específicas pode-se inclusive proceder à remoção do dente condenado, instalação imediata do implante, enxertos compensatórios caso necessário e dente instalado no mesmo ato.

A chamada carga imediata é executada em casos selecionados como rotina, o que acontece é que não é para todos os casos, todo especialista na área tem condições de determinar os casos onde esta técnica é mais adequada, o anúncio disso de forma generalizada não passa de artifício de marketing.

Tem situações, e isso é muito comum, que a carga imediata é a pior escolha, pois se quiser obter o máximo de naturalidade se faz necessário recuperar os tecidos perdidos ao longo do tempo, afinal as causas das perdas dentais geralmente são o acúmulo de problemas na vida dessa pessoa, alterando de forma significativa, além dos dentes, os tecidos de suporte como osso e gengiva.

Por vezes se escolhe o caminho mais fácil por ser mais rápido, porém será a melhor escolha? Quais os anseios que estão em jogo? Será que a velocidade do tratamento é o mais importante? Ou a recuperação da naturalidade, mesmo que levando um pouco mais de tempo compensa?

Todos estes fatores devem ser discutidos, e explanadas as vantagens e desvantagens de cada caminho.

Não sou contra a carga imediata, pelo contrário, fazemos com frequência, porém, sou contra a massificação da técnica por ser mais rápida (e mais lucrativa para a clínica) em detrimento do resultado.

A escolha da estratégia deve ser personalizada, todos os fatores devem ser avaliados, pensando sempre no resultado final a ser obtido e nos anseios do paciente.

Tem como fazer a cirurgia dormindo?

As cirurgias podem ser realizadas em ambiente clínico ou hospitalar, é mais comum que sejam feitas em consultório, apenas com anestesia local, mas, por vezes, para reduzir a ansiedade, lançamos mão de medicamentos para relaxar.

Em caso de cirurgias maiores e que não seja necessário hospital, o procedimento pode ser realizado com sedação endovenosa. Neste caso um médico da equipe de anestesiologia que atende os hospitais jaraguaenses, desloca-se à clínica e procede a sedação, monitorada com todos os equipamentos que promovem a segurança do procedimento, além claro de contar com médicos de renome e alta capacidade técnica.

Todos os profissionais habilitados podem solicitar este serviço ao grupo de anestesiologia, aumentando o conforto e a segurança.

Dr. Luciano Drechsel é Mestre e especialista em Prótese Dentária, especializando em Implantodontia e Odontologia Digital, Professor de Prótese Dentaria da FURB e coordenador do curso de especialização em Implantodontia e Prótese Dentária do Grupo Harmonique em Blumenau