"Quando você sabe gastar, o dinheiro pode ser muito, mas quando você não sabe o dinheiro é pouco."

Comentários semelhantes estão sendo realizados junto a familiares surpresos e reflexivos, afinal, não é esperado que crianças entre 6 e 7 anos possam apresentar esse olhar em relação a uma palavra que carrega tantos significados e interpretações diferentes: dinheiro.

Aqui, no CE Loni Emmendoerfer, a educação financeira se faz presente já nos primeiros anos de vida, brincando e aprendendo.

O dinheiro está presente em nosso dia a dia, porém há um enorme percentual da população com dificuldades em lidar com sua vida financeira.

Nem sempre é fácil descobrir a melhor maneira de ganhar, gastar e poupar. A educação financeira serve exatamente para tornar tudo isso mais fácil, para ensinar qual é a maneira mais tranquila de nos organizarmos financeiramente.

Foto Divulgação/Loni Emmendoerfer

Em nossa escola, o processo de educar as crianças para lidar com dinheiro é desenvolvido a partir de quatro atitudes: ganhar, poupar, gastar e preservar.

Ganhar

Apresentamos e vivenciamos como funciona a relação com o dinheiro e, além disso, estimulamos os alunos a desenvolverem seus talentos, dando a eles a oportunidade de construir seu futuro.

Poupar

É fundamental dar aos alunos a chance de aprenderem a se planejar, estabelecendo objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo, sendo levados a perceber que o prazer de poupar é semelhante ao de gastar o dinheiro.

Gastar

Gastar dinheiro é fazer escolhas. Na hora de fazer uma compra, os alunos são incentivados a fazer o “teste dos três sins”: preciso? Tenho dinheiro? Tem que ser hoje? Pois analisar, planejar e estabelecer limites de compras são as principais formas de economizar.

Preservar

Mesmo tendo o dinheiro, é preciso analisar algumas questões, como: o produto a ser comprado é ecologicamente correto? Eu preciso mesmo? Existe possibilidade de descarte correto ou de reaproveitamento da embalagem?

Hora de aliar a teoria com a prática:

Através de passeios pedagógicos, jogos e brincadeiras de faz de contas, as crianças colocam em prática seu conhecimento, realizando pesquisas, comprando seus próprios lanches e livros e realizando cálculos mentais utilizando o seu dinheiro.

Segundo Valentina, aluna do segundo ano do ensino fundamental, “no mercado a gente tem que pesquisar antes de comprar. Você sabia que uma barra de chocolate é mais barata do que o famoso ovinho de chocolate?”

Júlio, aluno do segundo ano do ensino fundamental, afirma:

“Quando fizemos o mercado na escola, eu expliquei para os pequenos que tinham que pensar no que eles precisavam, porque eles queriam comprar tudo.”

Educação financeira é uma caminhada longa, que vai até a vida adulta. Pensando dessa forma, desenvolvemos atividades pedagógicas que estimulam a criatividade, imaginação e reflexão dos nossos alunos, para que eles possam se conscientizar e contribuir ativamente na sociedade.

Através de ações focadas no hoje, sabemos que nossas crianças se tornarão adultos que farão as melhores escolhas em um futuro que nós, juntos, construímos aqui no presente.

Assim, como afirma Miguel, aluno de sete anos: “Agora sempre que vou comprar alguma coisa eu penso nos meus sonhos de longo prazo também, eu sempre penso se vou ter troco para guardar e já consigo calcular de cabeça”.

Parceiros: