A IG - Indicação Geográfica, na espécie Indicação de Procedência, garante que apenas os produtores da região determinada podem utilizar oficialmente o nome Linguiça Blumenau em seus produtos. É uma espécie de certificação para o consumidor de que o produto mantém as características originais da Linguiça Blumenau. O nome geográfico Blumenau passa a identificar o produto, cuja origem e características estavam diretamente relacionadas ao processo de colonização alemã na região, fruto da adaptação de um saber trazido pelos imigrantes, tornando-se autêntico, emblemático e típico da localidade.

Há registros da produção desta linguiça desde 1934, por uma indústria que existe até hoje!

A produção desta linguiça fresca e defumada abrange o território original do município de Blumenau em 1894 (Gaspar, Blumenau, Pomerode, Timbó, Aurora, Laurentino, Agronômica, Indaial, Rio dos Cedros, Doutor Pedrinho, Benedito Novo, Rodeio, Presidente Getúlio, Ibirama, Rio do sul, Lontras), conforme demonstrado na documentação.

Originalmente, visava o autoconsumo, preservando a carne suína produzida pelos colonos. A linguiça, então, se estabeleceu como um produto típico da região e gradativamente passou a ser comercializada, alcançando, inclusive, outros Estados.

Além disso, a linguiça oriunda da região de Blumenau mantém uma uniformidade em sua produção, com base no saber fazer tradicional dos produtores, mas que se modernizou ao longo dos anos, observando as normas sanitárias vigentes.

A linguiça de Blumenau é fruto das "representações étnicas, típicas, tradicionais e culturais, ligadas ao consumo e ou à produção da linguiça Blumenau na região, marcados geograficamente pelas 'festas étnicas da cultura alemã', onde a gastronomia típica se manifesta com pratos e receitas com a linguiça Blumenau.

foto: divulgação

Esta é a oitava Indicação Geográfica reconhecida pelos produtos catarinenses, que incluem a Banana da Região de Corupá, os Vinhos de Altitude e o Mel de Bracatinga. É a valorização do produto e dos produtores, e porque não dizer, de toda a cultura catarinense.