Você por acaso já ouviu alguém dizer que não tem a mesma cabeça após ter tido Covid? A pessoa descreve sensações de falhas de memória, dificuldade de se concentrar, além de ansiedade excessiva e dor de cabeça; essas queixas tem sido cada vez mais comuns nos consultórios neurológicos.

Síndrome Pós - Covid ou Covid persistente é o nome dado para o conjunto desses sintomas, caracterizados pela manifestação para além de quatro semanas desde o início dos sinais da infecção pelo coronavírus e que podem persistir por meses.

As doenças neurológicas são aquelas que afetam o sistema nervoso central, formado pelo encéfalo e a medula espinhal, e o sistema nervoso periférico, formado pelos nervos, levando a sintomas que podem se manifestar em outros sistemas do organismo. Os principais sintomas neurológicos pós - Covid são dor de cabeça, fadiga, alteração de memória, perda de olfato e de paladar, sonolência diurna. Além de tontura e confusão mental.

Em casos mais graves do Covid-19, que necessitam de internação hospitalar, o risco para desenvolver essas sequelas é maior. Estudos científicos recentes, um deles brasileiro feito por pesquisadores da USP e da Unicamp, comprovam que o vírus Sars-CoV-2 é capaz de prejudicar diretamente o funcionamento cerebral ao infectar células nervosas. Pode-se observar danos secundários ao sistema nervoso associados também ao processo inflamatório intenso no local afetado, à resposta imunológica exagerada e ao aumento da coagulabilidade do sangue, como hemorragia ou infarto cerebral (AVC), meningite, trombose venosa cerebral, entre outras complicações.

De forma mais intrigante os resultados revelam que mesmo os indivíduos que tiveram a forma leve da COVID-19 também podem apresentar alterações neurológicas significativas em funções complexas como memória, atenção, consciência e linguagem, e esse número chega a 30% dos afetados.

Por outro lado, os transtornos psiquiátricos envolvem uma grande variedade de condições que afetam o humor, o raciocínio e o comportamento. Os distúrbios mais frequentemente relatados pelos indivíduos que tiveram Covid são depressão e ansiedade.

A avaliação por um neurologista nesses casos é fundamental para que seja feita uma análise completa do quadro, que inclui a realização de exame neurológico e cognitivo (memória, atenção, função executiva, linguagem, motricidade), exames de imagem e laboratoriais. Além de orientar o melhor tratamento para alívio dos sintomas.

A pergunta que fica agora é: serão esses sintomas passageiros ou permanentes? Isso é uma resposta que só a ciência nos dirá. E, nós, profissionais de saúde, precisaremos acompanhar a ciência de perto para respondermos com qualidade à imensa demanda de cuidados das sequelas neurológicas e cognitivas após o COVID.

Onde encontrar

Clínica Soprus: Rua João Planincheck, 618, Nova Brasília, Jaragua do Sul -SC

Médica especialista em Neurologia (CRM SC 30733 - RQE 20463) pelo Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia.
Mídia social: @draerikatavaresneuro
Contato: (47) 3373-4252 | (47) 98402-5034
Email: erikatavaresneuro@gmail.com

Referências

Huang C, Huang L, Wang Y, et al. 6-month consequences of COVID-19 in patients discharged from hospital: a cohort study. Lancet. 2021;397(10270):220-232. doi:10.1016/S0140-6736(20)32656-8

Taquet, M. et al. (2021). 6-month neurological and psychiatric outcomes in 236 379 survivors of COVID-19: a retrospective cohort study using electronic health records. The Lancet Psychiatry. DOI: https://doi.org/10.1016/S2215-0366(21)00084-

Crunfli, F.,et al. (2020). SARS-CoV-2 infects brain astrocytes of COVID-19 patients and impairs neuronal viability.