Por Nelson Luiz Pereira_conselheiro editorial do OCP

 

Lançado em março de 2020, o relatório mensal “OCP Expectativas de Mercado” publicado nesta quinta-feira, chega à sua 12ª edição. O instrumento foi criado com o intuito de fornecer à sociedade civil e empreendedores, um instrumento norteador das perspectivas quanto ao andamento da economia brasileira, nas dimensões nacional e regional.

Por ser a economia uma ciência complexa e muito sensível as adversidades do mercado, buscou-se, como mentoria responsável pelas projeções dos indicadores, um seleto grupo de empresários e outros profissionais, pertencentes à comunidade de assinantes da Rede OCP de Comunicação, com sólido conhecimento, vivência e experiência sobre cenários econômicos.

Estes analistas forneceram, ao longo destas doze edições, suas avaliações particulares, consolidadas e publicadas pela Rede OCP. O respectivo relatório apresenta quatro indicadores fundamentais da economia brasileira: IPCA (%); PIB (%); Taxa de câmbio (R$/US$) e Taxa Selic (% a.a.), bem como, a expectativa sobre a economia da microrregião do Vale do Itapocu.

Cabe salientar que o impacto avassalador da pandemia sobre a economia nacional, ao longo desses doze meses, dificultou sobremaneira o exercício das previsões.

No entanto, de acordo com o relatório analítico, o ano de 2021 iniciou com consistente otimismo, arrefecido em março por conta do agravamento da Covid-19, com colapso do sistema de saúde, conjugado com instabilidade política.

Entretanto, as expectativas da economia em nosso contexto regional, continuam promissoras, certamente sustentadas pela vocação empreendedora que caracteriza nossa região, bem como, pela tendência de aceleração do processo de vacinação.