Perseguir continuamente a excelência e transparência em gestão pública deveria ser a missão de todos os entes da federação desse imenso país. Isso porque, a expectativa de todo cidadão é de ter retorno de suas contribuições, em serviços e benefícios, envolvendo todas as áreas como, saúde, educação, segurança, saneamento, meio ambiente, recursos humanos, financeiros, tecnológicos, fiscais, entre outras.

Por isso, a pergunta que nunca poderá calar é a seguinte: se esse propósito é realidade em alguns entes da federação, porque não pode ser no âmbito nacional?

Jaraguá do Sul se destaca, mais uma vez, em excelência em sua gestão. Dessa vez, a métrica é o Igma (Índice de Gestão Municipal Aquila), que leva em conta cinco categorias de análise: eficiência fiscal e transparência; educação; saúde e bem-estar; infraestrutura e mobilidade urbana; desenvolvimento socioeconômico e ordem pública.

Dentre todos os municípios brasileiros com mais de cem mil habitantes, Jaraguá está em primeiro lugar. Cabe referenciar que a plataforma Igma foi idealizada com o “objetivo de acompanhar a evolução dos municípios brasileiros.

Na metodologia das Cidades Excelentes ela é a bússola que possibilita o monitoramento de cada um dos pilares do ciclo virtuoso de desenvolvimento municipal. Sua arquitetura foi desenhada para possibilitar que qualquer cidadão consulte a situação do seu município, entender as principais prioridades e a busca de cidades espelho.

Este padrão de governança, medido pelo Igma, vem se somar a outros indicadores políticos, sociais e econômicos, que fazem de Jaraguá do Sul, uma cidade ordeira, colaborativa e desenvolvida.

Obviamente, problemas e desafios sempre se fazem presentes nesse processo, mas, solucionáveis com organização, planejamento e vontade política. Que a nossa governança visionária continue refletindo o respeito que se tem para com o bem público e, por conseguinte, com o cidadão.