Todo e qualquer esforço direcionado a inclusão e garantia da dignidade humana, merece ser enaltecido. Além de ser um direito constitucional, nunca é demais ressaltar que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e da própria ONU, cerca de 15% da população mundial (mais de 1 bilhão) possui algum tipo de deficiência (física, sensorial, intelectual ou psicossocial).

E cabe evidenciar, também, que desse contingente, 80% pertencem a países pobres e em desenvolvimento, e dentro desse contexto, 50% não conseguem tratamentos. Portanto, a realidade mundial nos revela que ainda há muito o que fazer nesse aspecto. Infelizmente esse déficit, que ainda persiste, é resultado de uma herança histórico cultural de estigmatização das pessoas com deficiência.

A realidade atual nos mostra, entretanto, esforços orientados para o exercício pleno dos direitos e liberdades fundamentais e da cidadania, e em particular, das pessoas com deficiência.

Em Jaraguá do Sul há muitas entidades voltadas à essa missão social. O exemplo que destacamos hoje é uma iniciativa da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) que está promovendo até o dia 30 de agosto, o leilão "Arte para Arte", cujo objetivo é adquirir recursos para incentivar o projeto Despertando Talentos.

Este belo e digno projeto é administrado por educadores da Apae, inseridos no mundo da arte, e foca atividades visuais, expressão corporal e musicalização, que contribuirão significativamente para o desenvolvimento dos alunos, além de estimular as competências artísticas destes.

A edição OCP desta quarta-feira (18), traz uma matéria esclarecedora e orientativa, aos interessados em conhecer e contribuir com esse projeto. Uma autêntica iniciativa que só nos prova que a verdadeira deficiência está no preconceito, nas velhas ideias, na falta de educação, conhecimento e respeito. Sucesso ao projeto.