Célio Dalcanale | MMD Advogados
Célio Dalcanale | MMD Advogados

O final do ano se aproxima e com ele vem a reflexão do que aconteceu durante o ano: analisar as metas alcançadas, resultados operacionais, se o objetivo empresarial foi atingido... E com isso também vem a preocupação com o próximo ano. É hora de pensar no Planejamento Orçamentário, refletir em números o que a empresa tem definido (ou vai definir) em sua estratégica comercial. Antes de qualquer coisa a empresa precisa definir qual seu planejamento estratégico, quais metas e objetivos pretendem alcançar e com base nisso é definido o Orçamento Empresarial.

O planejamento orçamentário contempla todas as estruturas da empresa, desde o levantamento de todas as receitas pretendidas no ano-calendário futuro como as despesas incorridas neste mesmo exercício. Sua elaboração demanda embasamento, deve levar em consideração os planos e necessidades estratégicas da empresa, ajustando e atualizando o que é preciso dentro da sua realidade atual. Permite que a empresa tenha um conhecimento real de seus gastos, facilitando a busca de oportunidades e redução de custos.

Qualquer empresa, de qualquer porte, deve se preocupar com seu planejamento, eis que o mundo dos negócios muda rapidamente, e com isso a tomada de decisões deve ser mais célere e mais assertiva e os mecanismos de planejamento, avaliação e controle das empresas devem estar muito bem estruturados.

Sem a prática de organizar um planejamento orçamentário, a empresa fica restrita aos seus resultados mensais, ao dia a dia, o que coloca em riscos o conhecimento claro das metas e objetivos a médio e longo prazo.

Quando uma empresa possui metas e objetivos claros, refletidos num orçamento real e realizável, aumenta o engajamento dos colaboradores que se sentem motivados no atingimento das suas metas e objetivos anuais. Ainda, facilita a gestão de recursos da empresa, funcionando como uma ferramenta de controle, minimizando custos e contendo despesas, além de dar agilidade na tomada de decisões. É o planejamento que direciona a empresa, dá subsídios e ferramentas para atingir o sucesso do negócio.

O orçamento bem estruturado apoia a tomada de boas decisões, integrando e alinhando a equipe, dando um norte para o negócio. Dá uma flexibilidade maior e a possibilita corrigir o rumo da empresa em virtude de novos desafios e oportunidades futuras, dando uma visão sistêmica das operações da organização.

Importante que a elaboração do Planejamento Orçamentário tenha a participação dos gestores, que conhecem os desafios, problemas e dificuldades de cada área da empresa. Uma gestão colaborativa com transparência cria sinergia e maximiza os resultados.

Com tantas mudanças que estão ocorrendo no mundo, principalmente na questão de inovação e tecnologia, a empresa precisa estar preparada para os impactos que irão surgir, qualificando sua equipe para enfrentar estas mudanças.

Dividir as responsabilidades, envolver os líderes e criar propósitos claros, são pontos fundamentais para transpor esta nova fase. E o planejamento estratégico e orçamentário da empresa, com o envolvimento de todos é ponto fundamental – quem estiver melhor preparado, sofrerá menos e poderá colher bons frutos.

Artigo elaborado pelo advogado Célio Dalcanale, inscrito na OAB/SC sob nº 9.970, graduado em Direito pela Universidade Regional de Blumenau – FURB e em Contabilidade pela Faculdade de Ciências Administrativas de Joinville. Pós-Graduado em Direito Processual Civil, Direito Empresarial e com MBA em Direito Tributário. Sócio da Mattos, Mayer, Dalcanale & Advogados Associados. Atua nas áreas de Direito Empresarial, Direito Societário e Direito Tributário. Expert em planejamento sucessório, tributário e patrimonial de bens de sócios e diretores de empresas.