Estar inserido em outra realidade é uma das formas mais genuínas de aprendizado. E ao longo dessa Missão que estamos vivendo, imersos na cultura japonesa, participando de inúmeras agendas de visitas, estamos colhendo boas perspectivas de parcerias.

Nós, da comitiva catarinense que participa da Missão Internacional liderada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e pela Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe) iniciamos a segunda etapa da viagem, que agora tem como foco as conexões com referências de Singapura.

Entretanto, na semana em que estivemos em atividades no Japão, visitamos a Universidade Tecnológica de Tóquio, a Embaixada do Brasil na cidade, o Instituto Tecnológico da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), o Ministério da Educação, da Cultura, dos Esportes, da Ciência e da Tecnologia do Japão, a Universidade de Chukyo e a Universidade de Quioto. Instituições em que tivemos a oportunidade de iniciar conversas de parcerias em pesquisa e intercâmbio de alunos, desde o nível de graduação até possibilidades de pós-doutorado.

Alguns temas como estruturas de incentivo a startups, que colocam o Japão entre os países que mais têm investido na área, foram destaque nessa troca que tivemos e que com certeza queremos levar para a nossa realidade. Além disso, também vale pontuar sobre as inovações em armazenamento de acervos de biblioteca; as estruturas de treinamento para excelência acadêmica aliada à excelência no esporte; e os cases de pesquisa e áreas nas quais é possível estreitar relações e promover colaborações entre pesquisadores.

A recepção presencial do grupo de lideranças das IES, reforçou a forma como o país está, de fato, aberto a parcerias a partir da Missão. Estivemos no primeiro momento em Tóquio, Nogaya e Quioto, e as experiências, a troca de conhecimentos, as vivências, as possibilidades de cooperação científica entre Santa Catarina, por meio das universidades com as instituições do país, sinalizam serem promissoras. Através dos membros da Missão, pretende-se elaborar cartas de compromisso com o intuito de firmar parcerias para ampliar a ciência, a tecnologia e a inovação, e os processos de ensino e pesquisa tanto em Santa Catarina, quanto no Brasil.

Os encontros reforçam, inclusive, o potencial de novas conexões, as quais prometem ser de grandes mudanças para a pesquisa catarinense, pois o Japão está abrindo novamente as fronteiras, momento em que essa relação entre as universidades de Santa Catarina, do Japão, e até mesmo o governo japonês, tem muito a crescer. O alinhamento entre aquilo que acreditamos ser a linha a seguir e o que eles já vêm fazendo, foi muito evidente a cada visita, a cada conversa.

As consequências dessa Missão, marcarão um novo momento para o ensino de Santa Catarina, pois é só o início de um processo de criação de relações dentro do ecossistema de pesquisa e inovação que irá gerar resultados com início das cooperações com impacto a longo prazo.

Ao longo de todas essas experiências que já vivenciamos, reforçamos nossa visão positiva das metodologias de ensino, e dos avanços inovadores e tecnológicos alcançados pelo Japão, o qual possui uma qualidade de vida muito significativa e muitas portas abertas para a ciência.

Temos convicção de que a educação transforma a vida das pessoas e, por isso, não medimos esforços para levar o melhor para nossas instituições.