Imagem do coronavírus pelo microscópio
Imagem do coronavírus pelo microscópio

O sistema imunológico é formado por uma rede de órgãos, células e moléculas, tendo como objetivo manter o equilíbrio do organismo e combater os agentes agressores. Ou seja, ele tem a capacidade de reconhecer um corpo estranho e desenvolver uma resposta diante de estímulos, provocando a sua destruição ou inativação.

Ele é dividido em imunidade inata e imunidade adaptativa. A imunidade inata corresponde à rápida resposta, sendo nossa primeira linha de defesa. A imunidade adaptativa depende da ativação de células especializadas.

O componente celular do sistema imunológico é formado por diferentes populações de linfócitos e células acessórias. O funcionamento dos linfócitos e das células acessórias é regulado por uma série de moléculas conhecidas como citocinas, que regulam a proliferação e a diferenciação das células do sistema imunológico.

O componente molecular é formado pelas imunoglobulinas. O sistema complemento é um conjunto de proteínas que interagem entre si originando uma série de reações em cascata, que são capazes de provocar a destruição de membranas celulares e a indução de reações inflamatórias.

Defesa contra infecções virais

Na fase inicial das infecções virais, o controle é feito pelos interferons tipo I, que são produzidos por células infectadas por vírus e têm a propriedade de interagir e proteger as células não infectadas; e pelos macrófagos e pelas células citotóxicas naturais, que são ativados com a função de destruir as células infectadas.

Na segunda etapa, durante a resposta imune adaptativa, ocorre a ativação de células contra os antígenos virais e de células que vão colaborar na produção de anticorpos. Os anticorpos podem agir de duas formas: ligar-se ao vírus e impedir que ele penetre na célula não infectada; ou ligar-se à célula infectada e permitir a ativação de células que levam a sua autodestruição.

Em virtude dos diversos mecanismos de defesa contra os vírus, grande parte das infecções é assintomática ou apresenta manifestação subclínica, como febre. No entanto, várias infecções virais podem progredir, levando a um importante dano tecidual.

Foto Divulgação

São vários os fatores capazes de modificar o comportamento do sistema imunológico, como a idade, os fatores genéticos, metabólicos, ambientais, fisiológicos, nutricionais e microbiológicos. Sobre os fatores nutricionais relacionados com reduções da capacidade imunológica, podemos citar, principalmente, a deficiência específica de aminoácidos e algumas vitaminas e minerais.

No entanto, o sistema imunológico é formado ao longo da vida, ou seja, tomem cuidado com profissionais de saúde que disseminam informações como “shots, sucos, suplementação e fitoterápicos” milagrosos para fortalecer o sistema imunológico de um dia para o outro. O melhor a fazer é se hidratar, consumir comida de verdade (como frutas, verduras e legumes, castanhas, ovos e carnes em geral), evitar restrição calórica e descansar.

Prevenção ao coronavírus

O novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e causador da doença Covid-19, é um vírus que causa uma síndrome respiratória aguda grave, afetando também os receptores de uma enzima que regula a pressão arterial. Por isso, idosos e pessoas com doenças associadas estão no grupo de risco. A doença é transmitida pelo contato com pessoas infectadas, por meio de tosse ou espirro, ou ao tocar objetos e superfícies contaminados e, depois, a boca, nariz ou olhos. Até o momento, não existe vacina nem tratamento específico.

Portanto, lave as mãos frequentemente com água e sabão, cubra a boca com o antebraço ao tossir ou espirrar, evite contato físico com outras pessoas, tocar o seu rosto e compartilhar utensílios e objetos pessoais. Cuidado, algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas. Se você apresentar sintomas como febre, tosse e dificuldade para respirar, busque atendimento médico e não se automedique.

--

Referências:

  • Cruvinel WM, et al. Sistema imunitário - parte I: fundamentos da imunidade inata com ênfase nos mecanismos moleculares e celulares da resposta inflamatória. Rev Bras Reumatol. 2010;50:434-61.
  • Mesquita Júnior D, et al. Sistema imunitário - parte II: fundamentos da resposta imunológica mediada por linfócitos T e B. Rev Bras Reumatol. 2010;50(5):552-80.
  • Machado, Araújo, Carvalho & Carvalho. Mecanismos de resposta imune às infecções. An Bras Dermatol, Rio de Janeiro, 79(6):647-664, nov/dez. 2004.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Telegram Jaraguá do Sul