2020 veio como um balde de água fria. Neste ano, percebemos o quanto não temos controle sobre as nossas vidas. Foi um ano estranho, no qual teríamos que pontuar de maneira muito criteriosa o que de bom aconteceu. E ele está chegando ao fim.

Quando o ano está acabando é sinal de que as “boas festas” estão chegando. Em relação ao consumo alimentar nesta época, muito me espanta quem tem medo da ceia de Natal ou da confraternização do Ano Novo.

Você realmente acha que estes dois dias do ano (ou quatro, se considerarmos 24/12, 25/12, 31/12 e 1/1) refletem os seus hábitos? Que estes dias podem “te engordar”?

Os nossos hábitos são reflexos da constância dos nossos atos. Portanto, aproveite esta data ao lado de quem você ama, agradeça por estar vivo em meio a uma pandemia, dê amor, receba carinho, e, se possível, celebre e mentalize que dias melhores virão.

Sentar-se à mesa e compartilhar uma refeição é algo que não deveria ser temido por ninguém. Pelo contrário, comer rodeado de pessoas que amamos é um prazer que deveria ser desfrutado por todos. Se as festas de final de ano são sinônimos de celebração, então a comida faz parte desse conjunto.

Minha dica para 2021? Mantenha o tripé da saúde em equilíbrio: alimentação, corpo (atividade física) e mente. Construa e mantenha hábitos de vida saudáveis, até que eles se tornem o seu estilo de vida.

Dicas para te inspirar a ter uma alimentação saudável no próximo ano

  • Consuma vegetais (verduras, legumes e frutas): eles são ricos em fibras (auxilia na saciedade) e micronutrientes (vitaminas e minerais);
  • Evite alimentos industrializados: eles são ricos em calorias, gorduras ruins, sódio, açúcar e outros componentes prejudiciais à saúde;
  • Evite bebida alcoólica: mantenha-se hidratado e intercale 1 copo de bebida com 1 copo de água, evite beber em jejum e aprecie com moderação;
  • Prefira gorduras boas: as gorduras ruins podem levar ao ganho de peso e são fatores de risco cardiovascular, opte por azeite de oliva, abacate e oleaginosas (grupo das nozes e castanhas);
  • Prefira carnes magras: patinho, maminha, músculo, filé mignon, lagarto, coxão mole e coxão duro, além de peixes e frango sem pele;
  • Prefira carboidratos integrais: quando o peso diminui, o corpo tende a sentir mais fome, as fibras irão auxiliar na sua saciedade;
  • Beba água: isso vai evitar o inchaço, além de manter a hidratação (uma conta rápida seria 35ml de água para cada quilo de peso corporal);
  • Respeite os sinais de fome e saciedade: está tudo bem dizer “não” quando alguém te oferece algo e você não está com fome, não tem problema sobrar comida no prato quando você já estiver satisfeito;
  • Se permita (com moderação): não existe proibição, aproveite os momentos que envolvem alimentos calóricos, sem culpa e com consciência da frequência e da quantidade.

Receba as notícias do OCP no seu WhatsApp: