DESINTERESSE

Por que o eleitor não se interesse pelo trabalho dos Deputados e Senadores que manda para Brasília?
Faça um esforço aí e responda:
- Você sabe quantas propostas de Leis existem paradas no Senado da República e na Câmara dos Deputados?
Não? Sem novidades!
- E sabendo que é o seu dinheiro que paga os milionários salários dos parlamentares, o auxílio paletó, verba disso e daquilo, auxílio moradia e etc. mesmo assim não lhe incomoda?
Então vamos ampliar a provocação:
- Se lhe disser que são mais de 200 propostas, fica ruim?
- Podemos aumentar para 500 e você não liga?
Vamos pegar outro viés da abordagem:
- Você sabe quanto ganha um Senador da República ou um Deputado Federal? Pesquise! Vai lhe fazer bem!
Adicione a tal “verba de gabinete”!
Voltemos às propostas paradas:
São 2.677 projetos aprovados numa Casa Legislativa e empacada na outra (Senado e Câmara dos Deputados)
Alguns esperam desde 1.983!
Tem ideia, avalia o que é uma proposta de Lei parada há 39 anos?
Deve ser mais do que a idade de muita gente que nos lê.
ESCLARECIDINHO
Para que você possa se culpar (pelo menos um pouco) vamos apresentar um levantamento do que a comodidade não lhe permitiu conferir.
Fique tranquilo (a) porque a divisão da culpa é permitida com os demais brasileiros.
Vou ficar aqui rindo por dentro pela provocação:

SAL NA FERIDA

Como provocação pouca é bobagem, ainda tenho outra:
- O Congresso Nacional estuda aumentar o salário dos parlamentares para 2023.
Quer mais?
- Um aumento de salário tem reflexo em outros penduricalhos: auxílio aluguel, cota parlamentar, telefone, correios, gasolina, aluguel de carros, telefone fixo, gráfica e etc.
E você achando que o sujeito anunciando uma verbinha para o seu município, vez em quando, está fazendo um grande trabalho.
Não é nada além da obrigação e nem isso fazem direito.

JÁ QUE O TEMA É POLÍTICO

Nunca se viu nos últimos tempos e a referência é 2022 (antes nem foi tanto) uma eleição tão judicializada em todos os níveis.
Nacionalmente falando, a grandeza será intercontinental.
É de se aguardar que o Tribunal Superior Eleitoral e o Supremo Tribunal Federal (agora sob a presidência da Ministra Rosa Weber) tenham serenidade para as decisões e que não risquem palitos de fósforos em tantos barris de pólvora espalhados pelo Brasil.
Todos estamos vendo militância no judiciário.
Será que eles sabem onde isso pode parar?
Ou acham que o Brasil inteiro está “tirando uma soneca” e alheio aos acontecimentos?