Circulou nos jornais, a seguinte informação e dita pelo atual Presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado Moacir Sopelsa (MDB):

- Sopelsa prega a reavaliação urgente do MDB.

Fez uma dura crítica ao MDB durante encontro com a bancada da sigla nesta semana e alertou para o risco de o maior partido do Estado definhar caso não passe por uma autocrítica e imediata reavaliação, principalmente às vésperas da legenda receber um convite para integrar o novo governo, seja qual for o vencedor desta eleição.
Na avaliação do político, está claro pelos números de votos dados aos deputados que o MDB tem um capital político de pouco mais de 500 mil votos e isso não lhe dá uma sobrevida, pois pouco transferiu na disputa ao governo e menos ainda ao candidato ao Senado Celso Maldaner, que fez 304.799 votos e ficou em quinto lugar na disputa.

ALTO LÁ

Um dos responsáveis pela derrocada emedebista foi, exatamente, Moacir Sopelsa. Representante da velha política acostumada ao fisiologismo extremo, as atitudes de Sopelsa nos bastidores contribuíram e muito para o apequenamento do seu próprio partido. Ele foi um dos responsáveis pelo convite para Udo Döhler disputar a convenção com Antídio Lunelli, mesmo o partido tendo apenas um candidato, o que deveria nortear a aclamação.

Foi Sopelsa que “se encantou” com a possibilidade de findar sua carreira política (encerra em 31 de janeiro de2023) na condição de governador de Santa Catarina.
Misturou-se com Paulo Afonso, Pinho Moreira e outros. Foram eles que arquitetaram todas as tramas dos bastidores e que culminou numa tremenda rasteira em Lunelli, eleito deputado com a maior votação do partido: 74.500 votos.

SOPELSA SABIA

Era de conhecimento público, portanto, Sopelsa sabia das dificuldades do governador Moisés. Mais: Sopelsa também sabia do entusiasmo das bases para uma candidatura própria. Ele e parte da cúpula, anuíram em minimizar a escolha do candidato (eram todos filiados e depois, somente os diretórios com direito a voto), tramaram o nome de Udo, deram um pé no traseiro dos filiados e levaram outro na votação. Quem não sabia que isso iria acontecer? Reavaliação interna?

Podem começar mandando a velharia pra casa para ficar com pantufinhas. Eliminar os fisiologistas de carteirinha que sempre desejaram cargos. Ademais, a aposentadoria definitiva de alguns fará bem ao partido. Oxigenar, mas com gente nova.

NO BRASIL

Estamos a uma semana da decisão de quem será o Presidente do nosso país. Vídeos na internet desmentem a promessa de picanha e com frases do tipo:
- É preciso mentir...
- Prometi, mas que picanha?

Decididamente, o brasileiro possui memória curta e se esquece muito rápido da “ficha corrida dos políticos”. A imprensa perdeu a liberdade para fazer as devidas recordações e estamos vivendo sob a tutela da censura. Como dizem nos dias atuais: - Só Deus na causa!

DOIS MOMENTOS NO JUDICIÁRIO

Primeiro:

O TSE está legislando, o que não é sua função. Se autoconcedeu o “poder de polícia” por decisão própria, o que é um acinte. Se transformou no censor da imprensa e de modo como nunca se viu no Brasil. Tudo ocorre nas barbas do Congresso Nacional que está de joelhos e onde a maioria se não tem o rabo preso no STF em processos que estão engavetados, possuem outros interesses em causas pendentes de julgamento.

Segundo:

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça está dando um tremendo incentivo para a bandidagem. Se o bandido estourar a fechadura da porta da sua casa ou quebrar uma janela com a intenção de lhe furtar/roubar, o ato não será motivo para condenação. Mesmo estando armado e pronto para lhe dar um tiro, a ação será considerada “apenas crime tentado”. Chamaram de “atos preparatórios”. Quando o cidadão de bem der um tiro na cara do ladrão, também poderiam considerar “ato preparatório de entrada no inferno”.