A vinda do secretário de Estado da Saúde André Motta Ribeiro a Jaraguá do Sul na terça-feira (24) no fim da tarde, foi mais que uma visita, veio acompanhada do anúncio muito esperado pelos prefeitos e secretários de Saúde da região: a criação da 17ª Região de Saúde.

A criação de uma regional da saúde em Jaraguá do Sul, para abranger os municípios da Amvali (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu), vinha sendo solicitada pelos prefeitos da Amvali há tempo. O pleito foi encaminhado ao governo do Estado pela Amvali e contou também com o apoio significativo do deputado Vicente Caropreso (PSDB) que também ajudou para que a demanda saísse do papel.

Agora, os gestores estaduais e municipais aprovaram a criação da 17º Região de Saúde de SC de Jaraguá do Sul, dividindo a macrorregião Nordeste em duas partes. O objetivo é integrar a organização, o planejamento e a execução de ações e serviços de saúde da região de Jaraguá do Sul. A pactuação foi realizada durante reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) na terça-feira (24).

A proposta foi idealizada pela Comissão Intergestora Regional (CIR) Nordeste. A partir de agora, Jaraguá do Sul, que estava na mesma região de Joinville, passa a ser uma Região de Saúde. A necessidade em retomar a organização administrativa da região de Jaraguá ficou ainda mais evidente durante a pandemia.

O nome oficial da 17º Região de Saúde deve ser definido pelos representantes da região com a participação do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems). Os municípios que compõe a 17ª Região de Saúde são: Barra Velha, Corupá, Guaramirim, Jaraguá do Sul, Massaranduba, São João do Itaperiú e Schroeder, totalizando 297.269 habitantes.

Segundo o secretário André Motta, quando se cria uma regional de Saúde se traz a estrutura do governo do Estado mais perto dos prestadores de serviços e dos municípios. “Queremos estruturar uma regional de saúde que seja representativa do Estado e que possa orientar os processos da área da saúde desde controle de avaliação, auditoria, urgência e emergência, e todas as necessidades da região, inclusive com serviços complementares para cada vez oferecer mais e melhor, próximo do cidadão”, completou.

 

Demandas

O deputado Vicente Caropreso destacou que, com a criação da regional de Jaraguá do Sul, será possível ter uma resolutividade mais rápida das questões da saúde. “Foi uma decisão acertada do governador Moisés e do secretário André Motta para nossa região. A eles externamos nossa gratidão e reconhecimento”, comentou.

O secretário de Saúde de Jaraguá do Sul Alceu Moretti, lembra que há anos se buscava uma regional para região separada de Joinville. Ele comenta que com regional em funcionamento será possível buscar novos credenciamentos para os hospitais junto ao Ministério da Saúde e melhorar ainda mais os serviços à população.

Banco de Leite

O secretário André Motta visitou o Banco de Leite do Hospital Jaraguá junto com a primeira dama do Estado Késia da Silva que representa a Rede Laços. Na oportunidade, foi feito o repasse do governo estadual de R$ 191 mil para o Banco de Leite da unidade em alusão ao Agosto Dourado, marcado por ações de incentivo ao aleitamento materno.

 

Convite

Nea terça-feira (24) durante o almoço, o líder do MDB na Assembleia Legislativa, Valdir Cobalchini, ligou para o prefeito de Jaraguá do Sul Antídio Lunelli para convidá-lo a participar do próximo encontro semanal com os deputados. Com o entendimento de que ele segue firme como pré-candidato e prestigiado pelo time da Alesc.

Terminal Urbano

O vereador Osmair Gadotti (MDB), fez uma moção de apelo direcionada à Prefeitura de Jaraguá pedindo uma reforma e revitalização do Terminal Urbano do município. O parlamentar apresentou fotos das dependências do local e disse que os usuários do terminal enfrentam dificuldades em utilizar os banheiros, mictórios, bancos e outros ambientes pela precariedade do prédio. Outra questão apontada pelo vereador é a acessibilidade para deficientes físicos em vários pontos das instalações, que em parte é precária ou inexistente.

Segurança

No texto da moção, Gadotti lembra que muitas pessoas do interior passam pelo Terminal Urbano por dependerem do transporte coletivo e que precisam de mais conforto e segurança. “É preciso dar mais dignidade aos usuários”, frisou. O vereador relatou que já conversou com a Prefeitura sobre o assunto, por ser a responsável pela administração do espaço, em busca de ter o pleito atendido. Segundo ele, a resposta da Administração Municipal foi positiva e um projeto deve ser feito para restaurar o terminal em breve.