Em entrevista à Coluna Plenário, a presidente do Comitê de Enfrentamento da Covid-19 de Jaraguá do Sul Emanuela Wolff , fala sobre o momento pelo qual o município passa, assim como o Estado e o País, com o aumento dos casos do novo coronavírus, dentro da chamada segunda onda da pandemia.

A ampliação de leitos, a preparação do município para receber as vacina contra a Covid e a preocupação em conter a propagação da doença e ao mesmo tempo preservar a economia, são algumas das medidas tomadas pelo Comitê que completar um ano em atividade neste mês.

Confira a entrevista:

Como o Comitê de Enfrentamento da Covid-19 está se mobilizando neste momento em que Jaraguá do Sul, assim como as demais cidades do Estado, enfrenta o aumento do número de casos e de internações pela doença?

São muitas frentes de trabalho ao mesmo tempo. Uma delas é a nossa tentativa de ampliação do número de leitos credenciados pelo Estado. O prefeito Antídio Lunelli esteve em Florianópolis na semana passada e tratou do tema pessoalmente, agora estamos aguardando o sinal verde do Estado para liberarmos mais cinco leitos de UTI.

Na outra ponta, reforçamos nosso atendimento básico, o tratamento precoce, que adotamos desde o princípio, e intensificamos a comunicação. Também avaliamos diariamente as decisões necessárias no comitê, formado por diferentes instâncias da sociedade, o que nos dá uma visão mais ampla.

Sabe-se que medidas restritivas, principalmente ligadas ao fechamento ou restrição de algumas atividades, podem afetar a economia local. O que fazer para evitar que isso aconteça em nosso município e região?

Desde o princípio o prefeito Antídio Lunelli pregou o equilíbrio, fomos bem sucedidos com esta estratégia até agora, porém, a situação endureceu em todo Estado, com os piores índices desde o início da pandemia.

Parte da população espera soluções milagrosas. Mas o Brasil, infelizmente, demorou muito nas negociações para aquisição de vacinas, o que vai obrigar prefeitos e governadores a achar uma saída. Se todo mundo entender a importância de usar máscara corretamente e manter distanciamento não iremos precisar ser tão radicais. Caso contrário, não haverá outra solução.

Qual a avaliação do Comitê com relação às medidas tomadas pelo governo estadual neste momento da segunda onda da Covid?

A situação exigiu medidas mais duras, embora a gente tenha que tentar uma saída para o setor de comércio e serviços.

O primeiro decreto nos surpreendeu e confundiu porque acabou liberando atividades como o futebol justamente no momento mais crítico da pandemia, com Santa Catarina tendo uma taxa geral de 96% de ocupação das UTI’s.

A vacinação está acontecendo de forma gradativa, mas lenta. Teria alguma ação que o Comitê possa intermediar para acelerar a imunização?

Muito mais lenta do que imaginávamos. Desde outubro do ano passado nos preparamos para chegada das vacinas, reforçamos o estoque de seringas, organizamos a logística, mas dependemos do governo federal. É difícil esperar que agora, em cima da hora, os municípios resolvam uma situação que a União não conseguiu resolver. Mas faremos tudo o que tiver ao nosso alcance.

Qual a mensagem que você passa agora que completamos um ano de enfrentamento da pandemia?

A situação é de alerta total. Precisamos ter consciência coletiva, responsabilidade com o próximo. Muita gente só sabe atirar pedra.

Ninguém gostaria de estar passando por essa situação, gente perdendo vida, pessoas com muitas sequelas, as atividades econômicas prejudicadas, nossos profissionais de saúde extremamente sobrecarregados.

Então cuidem-se e nos ajudem a cuidar da nossa comunidade. Sempre fomos disciplinados e de espírito coletivo, vamos apostar na nossa força e união.

Professor Chiodini se reúne com presidente da Amvali para tratar sobre a compra de vacinas

O prefeito de Guaramirim Luis Antonio Chiodini (PP), o Professor Chiodini, esteve reunido com o prefeito de São João do Itaperiú e presidente da Amvali Clezio Fortunato, na manhã de ontem para discutir a possibilidade de compra das vacinas do coronavírus para os municípios da região e, se possível realizar a compra da quantidade que cada município gostaria de adquirir.

O prefeito explica que Guaramirim apresentou a intenção, ao presidente da Amvali, de realizar a compra de cerca de 20 mil doses da vacina. “Esse é um número inicial para protegermos a nossa população, mas se pudermos iremos comprar mais doses e garantir a segurança do nosso povo”, diz. A aquisição será discutida com os demais prefeitos e encaminhada aos órgãos competentes.

 

Foto Divulgação

Decreto

Estão em vigor desde ontem, as medidas previstas no novo decreto municipal publicado pela Prefeitura de Jaraguá e que traz restrições necessárias ao enfrentamento da Covid-19.

As medidas valem até o dia 15 deste mês. Entre elas estão que comércio, shopping, galerias, mercados e farmácias funcionem com 30% da capacidade de segunda a sexta-feira.

Já no sábado e domingo somente as farmácias e mercados podem abrir, seguindo a determinação do governo estadual de que apenas os serviços essenciais prestem atendimento.

Em Joinville

O Coronel Gonçalves, que foi candidato a vice-prefeito de Leandro Schmöckel, do Novo de Jaraguá, nas eleições 2020, assumiu a diretoria da Defesa Civil de Joinville.

Assim como os demais cargos comissionados do prefeito Adriano Silva (Novo), Gonçalves também passou por processo seletivo para ocupar a vaga.

Ele é bem conhecido em Jaraguá e região, pois em 2011 assumiu o comando do 14º Batalhão. Pelo período que ficou à frente do Batalhão, cerca de 4 anos, criou e desenvolveu dezenas de projetos, envolvendo a PM e a sociedade.