Resolução assinada pelo presidente estadual do partido Celso Maldaner e publicada na quarta-feira (2), traz as regras para as prévias do MDB, que estão marcadas para o dia 19 de fevereiro.

A votação irá acontecer nos municípios, das 9h às 15h. Das prévias sairá o nome do partido para disputa ao governo do Estado. Segundo o edital, quem quiser participar da eleição interna terá que se inscrever até o dia 10 de fevereiro. Por enquanto, três nomes já manifestaram o desejo de concorrer, além de Maldaner, o senador Dario Berger e o prefeito de Jaraguá do Sul Antídio Lunelli.

Maldaner lembra que a realização das prévias foi uma decisão do diretório tomada na última reunião, de 23 de agosto de 2021. E, segundo ele, o desejo das bases por uma candidatura própria ficou ainda mais evidente no roteiro que fez pelas 36 regionais.

“Começamos o ano mais uma vez ouvindo nossos filiados. Não há dúvida, mais de 90% da nossa base quer poder votar no 15, espera que o nosso partido tenha um projeto próprio para Santa Catarina. As prévias são para que a gente escolha quem melhor pode liderar esse processo e até mesmo iniciar as conversas com outros partidos”, afirma Maldaner.

Uma Comissão Eleitoral composta por cinco filiados integrantes do diretório estadual será nomeada dentro de cinco dias. Ela será responsável por receber e analisar as inscrições, confeccionar o modelo das cédulas de votação, tirar as dúvidas, receber os votos e as informações de cada município e divulgar o resultado final.

Conforme Resolução 001/2022 Art. 4o, § 2º, a votação deverá ser feita pelo voto direto e secreto dos convencionais, não sendo aceito o voto cumulativo e o voto por procuração.

Poderão votar membros dos diretórios municipais ou das comissões provisórias, membros do diretório estadual, vereadores em exercício, deputados estaduais e federais, senador e suplente, prefeitos e vice-prefeitos e delegados estaduais. Pelo edital, se apenas um filiado se inscrever, ele será automaticamente homologado como candidato do partido.

 

Parceria

A Associação de Câmaras e Vereadores do Vale do Itapocu (Avevi) realizou na quarta-feira, a primeira assembleia do ano. O encontro que ocorreu na Câmara de Guaramirim, contou também com a participação de representantes da União dos Vereadores de Santa Catarina (Uvesc). Para o vereador de Corupá e presidente da Avevi, Lairton Muller, as duas entidades precisam ampliar a parceria para o fortalecimento dos legislativos municipais. “Temos algumas pautas importantes para serem debatidas e precisamos da união dos colegas para defendê-las”, disse o presidente.

Na assembleia foram empossados os novos conselheiros do conselho consultivo da Avevi. A diretoria do Colegiado da Mulher Vereadora da Avevi também foi empossada tendo como presidente Nina Santin Camello e vice Sirley Schappo, as duas de Jaraguá do Sul.

Rede elétrica

Uma moção de apelo aprovada ontem na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul dá visibilidade a um problema que afeta o meio rural do município: a instabilidade no fornecimento de energia elétrica. A moção, de autoria do vereador Jonathan Reinke (Podemos), apela para que sejam realizadas melhorias na rede elétrica da JGS 481 – Gerhard Gumz – Estrada Jaraguazinho, no Garibaldi. O pedido é para que a potência oferecida seja aumentada afim de atender aos moradores do local, sem que haja queda no fornecimento.

Precariedade

Reinke adverte que, por conta da precariedade na distribuição de energia, os trabalhadores rurais têm dificuldade em realizar as tarefas do dia a dia que necessitam de equipamentos maiores. O parlamentar lembra ainda que em outras localidades também há transtornos com a rede elétrica, como o Ribeirão das Pedras e o Rio da Luz.

Outra demanda citada pelo vereador foi a iluminação da rua Henrique Butzke, no bairro Jaraguá 99. Lá os moradores também reclamam da precariedade e da pouca eficiência das lâmpadas instaladas. A moção foi aprovada por unanimidade pelos vereadores e enviada ao diretor presidente da Celesc Cleicio Poleto Martins e ao gerente regional em Jaraguá do Sul Danilson Agnaldo Mendes Wolff.