A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,2% no primeiro trimestre deste ano, uma alta de 1,3 ponto percentual (p.p) na comparação com o último trimestre de 2019, segundo pesquisa divulgada quinta-feira (30) pelo IBGE. Já chegam a 12,9 milhões o número de desempregados.

São 1,2 milhão de pessoas a mais na busca por uma recolocação no mercado de trabalho no primeiro semestre. Já na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, o contingente caiu 4% ou seja 537 mil pessoas a menos no mercado de trabalho e sendo muitas das últimas baixas muito por conta da pandemia do coronavírus.

Ainda de acordo com a pesquisa, o total de pessoas fora da força de trabalho subiu para 67,3 milhões, batendo novo recorde desde 2012. O IBGE apontou que houve perdas nos postos de trabalho nas seguintes atividades: indústria (-2,6%), construção (-6,5%), comércio e reparação de veículos (-3,5%), alojamento e alimentação (-5,4%), outros serviços (-4,1%) e serviços domésticos (-5,9%).

Entre tantas pessoas sem ter de onde tirar o sustento, aparece o setor público que, segundo a pesquisa, no primeiro trimestre do ano aumentou em 2,6% ou seja 290 mil contratados a mais este ano em relação ao mesmo trimestre de 2019. Atualmente a categoria do funcionalismo chega 11,7 milhões incluindo os servidores estatutários e militares.

Esse crescimento de contratações parece não ser levado em conta pelos governos das três esferas, que em vez de segurar as contratações, agora tem uma “contrapartida” em meio a crise com a proposta de congelamento dos salários do funcionalismo por 18 meses. Nada justa perto da grande massa de desempregados e de outra parte de empresas e trabalhadores que tiveram de negociar a redução de salários, jornada e até suspensão temporária de contratos para não aumentar ainda mais o desemprego

Ainda sobre o congelamento

O ministro da Economia Paulo Guedes, disse nesta semana que o projeto de congelamento dos salários do funcionalismo, proposto pelo governo em contratapartida ao socorro a estados e municípios pretende gerar uma economia de mais de R$ 100 bilhões. Segundo Guedes, médicos, enfermeiros, policiais militares e outras categorias “que estão na rua” ficarão de fora da medida. O projeto está em discussão no Senado.

“Sacrifício”

No começo da semana, depois de uma reunião com o presidente Bolsonaro, o ministro da Economia disse que o funcionalismo público precisava mostrar que está com o Brasil e precisaria “ fazer um sacrifício e não vai ficar em casa trancado com a geladeira cheia assistindo à crise enquanto milhões de brasileiros estão perdendo o emprego.” E os salários dos políticos vai ser só congelado ou cortado? Ah, são eles mesmo é que decidem.

 

CURTAS

Celulares

Acordo entre a Prefeitura de Jaraguá do Sul e a empresa Samsung resultou na entrega de uma primeira remessa de 20 smartphones para serem usados pelos estudantes da rede municipal. A entrega ocorreu na quarta-feira (29) e os aparelhos foram emprestados aos alunos durante o período das aulas virtuais e, depois, serão devolvidos e usados pelas escolas e Centros Municipais de Educação Infantil.

Ação judicial

Segundo a Secretária de Educação Ivana Dias, os aparelhos vieram como resolução de uma ação judicial movida pela Prefeitura contra a empresa. Na próxima semana, um segundo lote, com mais 33 aparelhos também deve ser entregue e mais aparelhos também estão sendo negociados, em uma conversa que também envolve a Procuradoria-Geral do Município. Os smartphones serão preparados para uso de pais e estudantes, permitindo o acesso apenas para fins educacionais.

Comando

O presidente da Câmara de Corupá Lairton Müller (MDB) renuncia na segunda-feira (4) a presidência da Casa para que o vice-presidente Sidnei Schwerdtner (PP) assuma em seu lugar. Lairton cumpre acordo firmado ano passado quando assumiu o comando da Mesa Diretora.

Respiradores

A Procuradoria-Geral de Justiça e a 26ª Promotoria de Justiça da Capital apuram todas as circunstâncias da aquisição pelo governo do Estado de 200 respiradores com o pagamento antecipado de R$ 33 milhões. O chefe do Ministério Público de Santa Catarina, Fernando da Silva Comin, investiga possível crime contra a administração pública e a lei de licitação; e a Promotoria de Justiça irá apurar se a contratação lesou os cofres públicos e se houve possível improbidade administrativa.

CPI

A Assembleia Legislativa aprovou requerimento que pede instalação da CPI dos Respiradores. A proposta apresentada pelo Ivan Naatz (PL) ganhou adesão unânime dos 40 deputados. Uma das principais questões levantadas pelos deputados é o fato de o governo ter pago R$ 33 milhões antecipado à empresa carioca sem nenhuma previsão para a chegada dos equipamentos, denunciada esta semana na imprensa. Além do pedido de CPI, a Comissão Especial de Acompanhamento dos Gastos do Governo da Alesc também aprovou, por unanimidade, requerimento pedindo afastamento do secretário de Estado da Saúde Helton Zeferino.

Apaes

Indicação do deputado estadual Vicente Caropresto (PSDB) provada no plenário da Alesc esta semana solicita que o governo do Estado mantenha o pagamento regular para as todas as Associações de Pais e Amigos do Excepcionais (Apaes), via Fundo Social. Segundo o deputado, a queda de arrecadação em função da pandemia do coronavirus não pode comprometer o trabalho desenvolvido pelas 191 Apaes de Santa Catarina, que abrigam 21,5 mil educandos. A expectativa é que o repasse do governo totalize cerca R$ 30 milhões este ano.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul