Depois da reviravolta no cenário político jaraguaense na quinta-feira (12), a apenas três dias das eleições, em que decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu pela impugnação da candidatura de Ivo Konell (PRTB) à prefeitura jaraguaense, já que ele teve suas contas relativas ao período em que ocupou o cargo de secretário municipal de Administração rejeitadas.

Na sexta-feira (13), outra decisão surpreendeu novamente quem estava acompanhando de perto o desenrolar desta situação.

Enquanto nas redes sociais se espalhavam fake news de todos os tipos ao longo do dia de que Konell iria recorrer e reverter a situação de sua candidatura ao lado do Delegado Mioto (PSL), da parte da coligação só vinha um silêncio enorme, sem declarações sobre o fato da parte de Konell e da esposa sua esposa e companheira de campanha Cecília.

Já da parte de Mioto o que ele passava é que logo à tarde seria divulgada a informação sobre a decisão tomada no momento. E esta surpreendeu, pois veio com uma nota publicada no fim da tarde na página do Facebook da coligação destacando que a chapa Ivo Konell e Delegado Mioto optou por desistir de recorrer à justiça e comunicou oficialmente que saía da disputa à Prefeitura de Jaraguá do Sul.

Na nota assinada por Konell e Mioto, eles comentam que receberam com perplexidade e tristeza a notícia do cancelamento da candidatura pelo TSE.

“Não praticamos nenhum crime eleitoral. Estávamos competindo com altivez e com respeito aos adversários. A nossa chapa foi excluída porque o Tribunal Superior Eleitoral entendeu que o registro do Sr. Ivo Konell deveria ser indeferido porque que foi reconhecida uma inelegibilidade. Decisão obtida por maioria apertada”, destaca o texto.

Na nota, destaca-se ainda que a mesma questão tinha sido analisada e afastada pela Justiça Eleitoral “tanto que a juíza eleitoral de nossa cidade, quanto o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina por decisão unânime de seus membros, entenderam que o caso (decisão do TCE/SC) não impedia que sua candidatura fosse deferida. Como é possível que a mesma justiça eleitoral chegue a decisões radicalmente opostas?” questionam os dois candidatos.

Ainda na declaração, foi colocado que “a decisão afetou não somente nosso direito, como candidatos, de participar de forma legítima das Eleições Municipais de 2020, mas sobretudo caracterizou uma restrição dura e irreversível no direito de escolha de todos os cidadãos jaraguaenses”, dizem os candidatos.

Konell e Mioto comentaram ainda que pensaram durante 24 horas sobre qual seria a melhor decisão a ser tomada nesse momento.

“De um lado, o desejo de prosseguir na disputa, se insurgir contra essa decisão injusta e lutar até às últimas instâncias para obter um pronunciamento final do Supremo Tribunal Eleitoral. De outro lado, a preocupação com a nossa cidade e com os efeitos negativos decorrentes de um processo eleitoral que se arrasta e que não termina no dia da eleição. Pensamos, nossa cidade não merece isso. De coração dilacerado anunciamos que não iremos interpor recurso contra essa decisão.”

A nota encerra com a informação de que a chapa que vai focar na eleição de vereadores do PRTB e PSL.

Como fica a chapa nas urnas

Conforme informação repassada por meio de nota oficial da Justiça Eleitoral de Jaraguá do Sul assinada pela juíza eleitoral Daniela Fernandes Dias Morelli quanto à eleição deste domingo no município as urnas já estão prontas para a votação e os dados do candidato Ivo Konell (PRTB) e do vice Delegado Mioto (PSL) ainda estão cadastrados.

Na decisão do TSE, a Corte determinou que, no caso de inviabilidade técnica para a retirada dos nomes dos candidatos da urna a tempo da votação, os votos eventualmente dados à chapa devem ser computados como nulos.

Cabe agora ao eleitor observar esta questão dos candidatos no dia pleito, já que as chapas que são válidas para esta eleição são de Antídio Lunelli e Jair Franzner, do MDB, e de Leandro Schmöckel e Coronel Gonçalves, do Novo, e que portanto, terão o voto válido.

 

Telegram Jaraguá do Sul