Foi aprovada na Câmara jaraguaense, esta semana, uma moção de apelo direcionada ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro de Infraestrutura Tarcísio de Freitas, para que sejam realizadas as obras de pavimentação do acostamento da BR-280 entre Jaraguá do Sul e Corupá. O trecho para obras é do km 68,8 até o km 84,3, ou seja, desde o trevo que vai para o bairro Chico de Paulo (em Jaraguá) até a Rua Francisco Mees (em Corupá).

A vereadora Nina Santin Camello (PP) e os vereadores Onésimo Sell (MDB) e Osmair Gadotti (MDB) fizeram a moção de apelo. Segundo os parlamentares, esse trecho da rodovia (entre Jaraguá e Corupá) é utilizado por muitos moradores das duas cidades, que transitam a pé ou de bicicleta pelo acostamento, correndo grande risco de atropelamento.

Em 2012 o governo federal celebrou contrato com o Consórcio Mafrense Empo para a execução da obra de melhoria dos acostamentos no trecho, mas que não foi iniciada por causa da recisão contratual decorrente do processo de falência da empresa contratada.

A vereadora Nina lembrou que, em março deste ano, ela fez uma moção de apelo ao Dnit de Santa Catarina para que realizasse a pavimentação desse local e que ela própria foi entregar a moção ao chefe de serviços da autarquia na região Antônio Bessa. Porém, o gestor lembrou que o processo de licitação e contratação da obra estava engavetado em Brasília.

Para Nina, este é o momento das lideranças da região unirem forças para que o trabalho saia do papel, como, por exemplo, a moção de apelo aprovada pela Câmara de Corupá, que também quer providências para a construção do acostamento.

A moção jaraguaense, aprovada na quinta-feira (27), por unanimidade, será enviada nos próximos dias à Brasília.

Apoio dos prefeitos

Após resposta do Dnit sobre moção de apelo entregue por Nina Santin, ela também se reuniu com os prefeitos de Jaraguá do Sul Antídio Lunelli (MDB) e de Corupá Luiz Carlos Tamanini (MDB), para tratar sobre o assunto. A estimativa do valor a ser investido no projeto de acostamento para a BR-280 entre os dois municípios, seria estimado em cerca de R$ 20 milhões, informou o Dnit.

Legislativo Digital

Foi aprovado quinta-feira na Câmara de Jaraguá, o projeto de resolução de autoria da Mesa Diretora, que institui o novo Sistema Legislativo Digital. Segundo o presidente da Mesa Onésimo Sell, todos as proposições, como projetos de leis e indicações serão 100% digitalizadas. Esta mudança vai gerar economia e transparência para a Câmara, que atualmente, consome milhares de folhas impressas.

Números

Em 2019, 139.951 folhas foram impressas na Câmara; em 2020 foram 82.532; e em 2021 mais de 30 mil. Cada vereador terá a sua assinatura digital e o gabinete do prefeito também terá acesso ao sistema e não precisará mais protocolar fisicamente os projetos de lei. “Iniciativas como esta precisam ser divulgadas para outros municípios aderirem, isso é mais respeito com os recursos públicos”, comentou Onésimo Sell.

Atraso

Pedido feito pela vereadora Sirley Schappo (Novo) solicita à Secretaria de Educação de Jaraguá informações sobre a aquisição de um terreno no valor de R$ 1 milhão para a construção da nova sede da Escola Guilherme Hanemann, na Barra do Rio Cerro. O espaço foi comprado pela Prefeitura em 2014, mas a obra não foi realizada. Segundo Sirley, ela espera que a pasta confirme quando a nova sede será construída ou, se a obra não for mais realizada, qual será a destinação do terreno, já que os moradores esperam a construção da nova escola há muito tempo.

Deslizamento

Em 2019, após um deslizamento de terra perto da unidade escolar, a Defesa Civil interditou salas da Guilherme Hanemann e alunos chegaram a ficar sem aulas. Em maio, moradores procuraram a vereadora Sirley e seu colega de partido, o vereador Rodrigo Livramento, para expor a morosidade da obra e a possibilidade de um novo desmoronamento.