A Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (AmvalI), conquistou o Selo Signatário do Movimento Nacional ODS Santa Catarina, pelas ações e projetos desenvolvidos na associação e que estão alinhadas com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A Agenda 2030 foi aprovada pelos países membros da ONU durante sua 70ª Assembleia Geral realizada em setembro de 2015, em Nova York.

São 17 objetivos e 169 metas de ação global para alcance até 2030, em sua maioria, abrangendo as dimensões ambiental, econômica e social do desenvolvimento sustentável, de forma integrada e inter-relacionada. Guiados pelas metas globais, espera-se que os países definam as suas metas nacionais, de acordo com as suas circunstâncias, e as incorporem em suas políticas, programas e planos de governo.

O Movimento ODS é formado por voluntários, de caráter apartidário, ecumênico e plural que tem como missão, facilitar a incorporação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no dia a dia das pessoas e nas práticas das organizações de Santa Catarina, mobilizando todos os setores da população catarinense.

Para a Amvali, a conquista do Selo, comprova a missão e o compromisso da entidade que busca o fomento do desenvolvimento regional de forma sustentável por meio de suas atividades, especialmente no âmbito dos projetos de cidades e comunidades sustentáveis, proteção, recuperação do uso sustentável dos ecossistemas terrestres, entre outras ações que a associação realiza e reflete nos municípios da região.

Interferência política

A demora, por parte do Ministério da Infraestrutura, para a assinatura do convênio que irá permitir que o governo catarinense destine recursos do tesouro estadual para acelerar obras em rodovias federais em Santa Catarina (BRs 470, 280 e 163) foi criticada pelo deputado Vicente Caropreso (PSDB) em uma publicação no Twitter esta semana.

“Faz quase 60 dias que aprovamos a destinação de R$ 350 milhões do governo do Estado para acelerar obras. Até o momento, o convênio que permite o repasse está parado no Ministério da Infraestrutura, devido a ‘interferência política’. Lamentável essa situação. Enquanto isso, engarrafamentos continuam e acidentes tiram vidas”, escreveu o parlamentar.

Pelo App

Foi aprovada esta semana na Câmara jaraguanese indicação do vereador Jair Pedri (PSD) que solicita que a Secretaria de Saúde de Jaraguá, faça o uso do aplicativo whatsapp juntamente com os demais meios já utilizados, para informar os pacientes em lista de espera no município para consultas, exames e cirurgias.

No começo do ano, os vereadores do Novo, Sirley Schappo e Rodrigo Livramento, também haviam encaminhado indicação pedindo que a Secretaria incluisse outras formas de agendamento, além de apenas a telefônica para agilizar a fila de espera por consultas.

Celesc

Moção de autoria dos vereadores jaraguaenses Nina Santin Camello (PP) e Osmair Gadotti (MDB) apela à Celesc por uma revisão na forma de parcelamento de débitos dos seus devedores. É solicitado ainda o aumento da quantidade de prestações e a redução do valor da parcela de entrada. O objetivo é facilitar a regularização das dívidas dos consumidores residenciais.

Segundo os vereadores, atualmente a companhia permite apenas o parcelamento de débitos em até sete vezes, sendo que a entrada geralmente é estipulada em 30% da dívida e isso acaba impossibilitando a regularização das famílias junto à empresa. A moção foi aprovada por unanimidade e será enviada à diretoria executiva da Celesc em Florianópolis.

Cortes

Nina advertiu que muitas famílias estão tendo dificuldade de pagar a conta de energia em dia por conta de terem suas rendas afetadas pela pandemia desde o ano passado e que a Celesc precisa ajudá-las nesta situação.