Cuidar da saúde é um dos primeiros itens da lista de promessas feitas na virada do ano e para falar bem a verdade, muitas pessoas já nos procuraram para cumprir com a sua palavra. O que procuram, preço ou valor? O que deve ser relevante na escolha, preço baixo ou ter mais qualidade e estrutura?

Essa questão me intriga muito, porque na maioria das vezes, o filtro usado para a escolha do profissional é feito pelo preço e não por quanto vale este profissional. Claro que a “crise” instalada no nosso país é preocupante e precisamos administrar as finanças com maturidade, mas falando em saúde, o que deve ser visto é o valor deste profissional que cuidará do seu bem-estar, da sua qualidade de vida.

Você já parou para se perguntar se o preço deste profissional é condizente com o quanto ele investiu na sua carreira, quanto investe anualmente, as formações, especializações, cursos e atualizações que ele fez? E a postura, a experiência e a vivencia, faz a diferença? E a estrutura que ele oferece para você? A concorrência por preço na área da saúde é desleal, mas a concorrência por qualidade, esta é para os que se colocam à frente de seu cliente, garantem seu trabalho e mostram resultados eficientes.

Num primeiro momento você até pode achar que não há necessidade de filtrar tanto assim e se coloca por inteiro nas mãos de um profissional que você escolheu pelo preço. E a pergunta é: o atendimento é eficiente? De qualidade? Qual o teu parâmetro de comparação? O barato sai caro? O teu investimento está valendo a pena?

A hora é de rever conceitos e avaliar melhor o profissional que cuidará de você. Em tempos onde estão propondo formar profissionais da área da saúde à distancia, é preciso analisar as escolhas e cuidar, para num futuro próximo, não precisar ser atendido por um fisioterapeuta, psicólogo, médico, dentista, educador físico à distância. Já pensou?