Bicicleta foi instalada em poste na rua João Januário Ayroso na manhã deste sábado| Foto Fábio Junkes/OCP News
Bicicleta foi instalada em poste na rua João Januário Ayroso na manhã deste sábado| Foto Fábio Junkes/OCP News

Aproximadamente 100 pessoas participaram de uma manifestação na manhã deste sábado (20), para lembrar o ciclista Nathãn Felipe Postai, 22 anos, e conscientizar a população diante de mais uma morte no trânsito jaraguaense.

Por volta das 9h30, o grupo saiu da praça Ângelo Piazera, no Centro da cidade, com escolta de uma viatura da polícia, e fez uma passeata até o local da colisão na rua João Januário Ayroso, no bairro São Luís, onde foi pendurada uma ghost bike (bicicleta fantasma) em um poste junto com a mensagem "uma bike, uma vida" lembrando a morte do jovem.

Confira o vídeo:

Para a irmã de Nathãn, Tauana Postai‎, a manifestação foi uma forma de pedir Justiça. "Uma morte dessa forma não pode ser passada em branco. Queremos prevenir que não destruam outras famílias com a perda de alguém como foi destruída a nossa", afirma.

Tauana disse que sua família já sabe quem causou o acidente. Porém, segundo ela, o motorista ainda não se apresentou. Ela conta que quem está cuidado do caso são os seus pais e os advogados.

Veja mais fotos da manifestação (clique e arraste as fotos):

Durante a semana, a mãe do jovem, Edilcéia Martins Postai declarou que quer que o culpado pela morte de seu filho pague. "Para que outras mães não venham a sentir a dor que eu to nesse momento", conta Edilcéia.

Ela fez um vídeo emocionante na quarta-feira, que gerou mais de 32 mil visualizações nas redes sociais:

Relembre o caso

No dia 12 de abril de 2019, uma caminhonete bateu no ciclista Nathãn Felipe Postai, 22 anos, arrancou duas árvores, um ponto de ônibus e só parou quando atingiu uma estrutura que protegia equipamentos do Samae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto).

Com o impacto da batida, o jovem foi jogado para a margem do rio, cerca de 20 metros depois. Um policial militar socorreu Nathãn antes de ele se afogar com o próprio sangue, mas o jovem não resistiu e faleceu logo ao dar entrada no hospital.

"Ele era apaixonado por viver", diz mãe de ciclista morto em acidente em Jaraguá do Sul

Para Edilcéia, a dor é inexplicável. "Ele sempre foi um menino trabalhador, apaixonado por viver e cheio de sonhos", relembra. Nathãn deixa três filhos: Eloá, de um ano, Arthur, 2 anos, e Dominique, de 3 anos.

O motorista da caminhonete, que segundo testemunhas estava alcoilizado, em alta velocidade, fugiu do local da colisão.

"Ele não matou só o Nathãn, mas matou uma família toda, ele tirou o direto das crianças terem um pai. Foi uma opção, ninguém obrigou ele a pegar essa chave e sair, ele sabia que não estava bem", opina Edilcéia.

O ciclista Nathãn morreu no dia 12 de abril de 2019, no bairro São Luís | Foto Reprodução

Quer receber as notícias no WhatsApp?