A mulher acusada de matar o marido na rua Max Wilhelm, no bairro Vila Baependi, em Jaraguá do Sul, está respondendo ao processo em liberdade. Presa em flagrante após esfaquear Davi de Castro Pereira, 25 anos, Luciene Alves de Castro Pereira, 36 anos, passou por audiência de custódia na 1ª Vara Criminal na tarde desta terça-feira (24). Luciene teve a prisão em flagrante convertida em preventiva pela juíza Anna Finke Suszek. Depois, a Anna entendeu que a suspeita deveria aguardar o julgamento em prisão domiciliar, já que tem uma filha de sete anos com a vítima. O benefício é dado pelo HCC (habeas Corpus Coletivo) 143641 concedido pelo Supremo Tribunal Federal, que determina a substituição da prisão preventiva por domiciliar de mulheres presas, em todo o território nacional, que sejam gestantes ou mães de crianças de até 12 anos ou de pessoas com deficiência. O crime aconteceu por volta das 14h desta segunda-feira (23). De acordo com a Polícia Militar, o motivo da briga do casal foi uma viagem de Luciene para outro Estado. A suspeita foi cuidar de um familiar, mas o marido cobrou o suposto fato da mulher ter saído para festas. Sob o efeito de álcool, os dois começaram a discutir e Luciene foi agredida com socos e pontapés. A vítima pegou uma faca para atingir a esposa, mas ela tomou a arma branca da mão dele e desferiu um golpe na parte lateral do abdômen. Mesmo ferido, Davi continuou a agredir a esposa, até que sentiu que estava ferido e saiu da casa para procurar ajuda. No meio da gritaria por socorro, uma adolescente de 14 anos viu o irmão cair e ter convulsões em uma área ao lado da residência. O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi chamado para fazer o socorro do esfaqueado. Ele foi levado em estado grave para o Hospital São José, mas morreu antes de chegar na unidade. A PM prendeu Luciene em flagrante e a levou para a Delegacia de Polícia Civil. O corpo de Davi foi liberado pelo Instituto Médico Legal ainda na noite desta segunda. Durante a noite e a manhã desta terça-feira, ele foi velado na Capela do Cemitério Vila Lenzi. Por volta das 14, a empresa responsável pelo serviço funerário começou o translado do corpo até São Paulo, onde foi sepultado.