As inovações tecnológicas estão ajudando diversos segmentos da sociedade.

E é o caso da Polícia Civil, em Criciúma, que implantou o auto de prisão em flagrante por videoconferência.

A implantação está sendo intensificada por todo o Estado em razão da pandemia.

O novo sistema emprega tecnologia e inovação, trazendo mais eficiência ao trabalho policial e otimização dos serviços.

O assunto foi mencionado na sessão de hoje, da Câmara de Vereadores, pelo delegado regional Vitor Bianco Junior, que usou o espaço destinado à Tribuna Livre, por solicitação do vereador Paulo Ferrarezi.

Ele informou que a nova tecnologia é bastante promissora.

“Isso já está sendo implantado e as propostas que vem são bastante promissoras. A pandemia veio para agilizar os serviços virtuais”, enfatizou.

O delegado ainda falou dos trabalhos em razão do baixo efetivo e lembrou que a Delegacia Virtual da Polícia Civil está em funcionamento.

“Antigamente, eram 12 boletins de ocorrência registrados pela Delegacia Virtual e hoje temos seis boletins de ocorrência que são feitos presencialmente. O restante todo pode ser feito através da Delegacia Virtual”, explicou.

Dos serviços prestados de forma presencial estão: homicídio, latrocínio, violência doméstica, furto e roubo de veículo e estelionato.

Os demais podem ser registrados pela Delegacia Virtual, o que está otimizando os serviços, conforme o delegado.

Disque Denúncia

Hoje a Polícia Civil está com dois canais de Disque Denúncia.

Um pelo 181 e o outro através do WhatsApp pelo número (48) 9.8844-0011 que foi lançado este ano e que, segundo o delegado Vitor Bianco Junior, está recebendo muitas denúncias, o que facilita a vida das pessoas.

Falta de efetivo

A falta de efetivo também foi abordada pelo delegado.

“Somos em pouco para atender uma demanda muito grande, porém as unidades de Criciúma têm uma estrutura boa, mas a situação de efetivo é bem problemática”, disse, acrescentando que estão trabalhando para construir um complexo da Polícia Civil, em Criciúma, onde todas as unidades estariam reunidas em um único local, como Delegacia Regional, Ciretran e todas as unidades da Polícia Civil, o que haveria também diminuição de gastos, de acordo com ele.

Atualmente, Criciúma conta com 12 delegados.