Uma mulher de 34 anos ficou gravemente ferida após um acidente na BR-386, em Lajeado, no Rio Grande do Sul.

Ela é suspeita de ter provocado a batida contra um caminhão na última segunda-feira (17). A Polícia Civil pediu à Justiça a prisão preventiva dela.

 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, na ocasião, o carro que ela conduzia bateu de frente com uma carreta.

A delegada Shana Hartz relatou à GaúchaZH que antes da colisão, ela gravou um vídeo com a filha, em que ela relatava que iria tirar a vida dela e da criança.

A menina, que tem dois anos, teve ferimentos leves.

“A menina está viva por um milagre. Ela teve alguns arranhões e ontem (segunda) mesmo foi liberada do hospital. A mãe gravou esse vídeo e enviou para colegas de trabalho e para o pai da criança. Diante dessas informações, encaminhamos a ocorrência no sentido de se tratar de um homicídio doloso (quando há intenção de matar) em relação à filha”, disse a delegada à Gaúcha ZH.

Já a mulher suspeita de ter provocado o acidente ficou presa às ferragens e foi socorrida pelos Bombeiros.

O estado de saúde dela é considerado grave, e por isso, ela foi encaminhada ao Hospital de Pronto-Socorro, em Canoas.

A delegada responsável pela investigação informou que a mulher não aceitava o fim do relacionamento com o pai da criança.

O caso segue em investigação e a suspeita ainda está hospitalizada.

Vídeo

Desde esta terça-feira (18), um vídeo chocante circula nas redes sociais.

As imagens teriam sido gravadas pela mulher antes do acidente.

Nele, uma mulher pergunta para a filha dentro do carro: "Onde nós vamos? Vamos se matar?".

Foto: Reprodução

"Sim", responde a menina, aparentemente com medo. A mulher continua: "Dá tchau para o papai?".

A criança se recusa e a mãe insiste: "Diz: 'Pai, tchau, é a última vez que você me vê'".

"Não quero", repete a filha. "Diz: 'Te amo, papai'. Fala pro papai: 'Tchau, papai. Adeus, até nunca mais'. Tá, então vamos lá se matar?", pergunta a mãe de novo e a criança abaixa a cabeça.

*Com informações da Gaúcha ZH, Clic RDC e Revista Crescer.