A Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Araranguá, em menos de 24 horas, elucidou o homicídio de Luiz Carlos Pereira, de 56 anos, conhecido como Carlinhos.

A vítima foi assassinada com um facada nas costas e, a companheira dele, de 42 anos, confessou o crime.

O homicídio foi registrado na noite desse domingo na Avenida Salmi Paladini, no centro de Balneário Arroio do Silva, na edificação de uma obra pública inacabada, da qual ele e a mulher invadiram e fizeram de moradia.

Ela foi quem chamou a Polícia Militar dizendo que ele havia sido esfaqueado e, que para estancar o sangue, teria colocado pó de café.

Para a polícia, a mulher disse que “Carlinhos” foi morto por dois homens que chegaram em um carro, que foi abandonado após o crime. Totalmente alterada, perturbou o trabalho dos órgãos de segurança, afirmando que o companheiro estava vivo, e se jogou no chão quando o corpo foi recolhido do local.

Investigação

Durante os trabalhos de investigação, que iniciaram no local do crime, não foi descartada a participação da companheira na morte da vítima.

Nesta segunda, a faca usada no homicídio foi encontrada ainda suja de sangue, dentro de uma caixa que estava escondida no cômodo onde o crime ocorreu.

Com isso, ela acabou confessando ter matado o companheiro, alegando que a facada ocorreu durante uma discussão entre o casal. Como não houve flagrante, ela foi ouvida e liberada.

A polícia também tinha informações de que ela era violenta e agredia seu companheiro. O delegado Jair Pereira Duarte, coordenador da DIC, não repassou maiores informações sobre o caso.


Com informações de Karin Mariana / Portal Agora!

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança