Cristiane Palopoli, 33 anos, morreu no fim da tarde desta quinta-feira (9), no Hospital São José, em Joinville | Foto Reprodução

Cristiane Palopoli, 33 anos, morreu no fim da tarde desta quinta-feira (9), no Hospital São José, em Joinville | Foto Reprodução

Descrita como uma mulher maravilhosa pelos amigos e familiares, Cristiane Palopoli morreu no fim da tarde desta quinta-feira (9), no Hospital São José, em Joinville. Ela teve o corpo parcialmente queimado com gasolina na tarde do último dia 25 de junho, em São Francisco do Sul, no Norte catarinense.  A suspeita é de feminicídio.

O ex-companheiro Jaison de Oliveira, é o principal suspeito de ter ateado fogo na vítima, de 33 anos. O crime foi presenciado pelos filhos. Segundo a Polícia Civil, o inquérito do caso ainda não foi finalizado. O suspeito teve o mandado de prisão expedido, mas permanece foragido. De acordo com a polícia, Cristiane chegou a registrar boletim de ocorrência por agressão contra o ex-companheiro neste ano, mas desistiu de fazer a representação na Justiça.

O corpo da vítima foi liberado do IML de Joinville na tarde desta sexta-feira para o velório. Cristiane será sepultada neste sábado, às 9h, no Cemitério Municipal Acaraí, em São Francisco do Sul. Triste com a notícia da morte da mãe, Bruno Emanuel desabafou na noite de quinta-feira.

"Mãe, não me conformo que a senhora se foi. Fique bem, aonde quer que esteja sentirei saudades", escreveu.

A amiga Deia Morena, de coração partido com a morte de Cristiane, também não consegue acreditar. "Uma vizinha maravilhosa, conselheira e amiga pra todas as horas. Sentirei muitas saudades", disse.

O crime

O caso ocorreu no banheiro da casa da vítima no bairro Majorca. Conforme pessoas próximas à família, o homem era bastante agressivo e ciumento. A relação entre o casal começou a ficar conturbada em novembro de 2017. Cristiane havia comprado passagem para o Paraná sete dias antes do ocorrido e levaria junto os dois filhos, um de 10 e outro de 16 anos.

No dia do crime, ela preparava roupas e pertences para a mudança. O ex-companheiro Jaison chegou de surpresa, bateu na porta, entrou no imóvel sem falar nada e foi direto na direção dela. Os filhos estavam no quarto, quando Cristiane decidiu ir até o banheiro. O homem arrombou a porta do banheiro, jogou gasolina nela, riscou o isqueiro, ateou fogo nela e fechou a porta, disseram os filhos.

Cristiane começou a gritar. Os filhos pegaram uma mangueira e conseguiram apagar o fogo que queimava a vítima. Um vizinho correu até o local para prestar ajuda e a mulher foi levada rapidamente até a UPA. Segundo um enfermeiro, a vítima deu entrada na unidade hospitalar por volta das 16h relatando muitas dores. Com queimaduras em cerca de 80% do corpo, ela foi transferida para o Hospital São José de Joinville, onde morreu após um mês e meio internada.

Quer receber as notícias no WhatsApp?