Foto: William Fritzke/OCP Online
O dia de hoje inteiro foi decisivo na vida dos irmãos Josnei Batista e Josmar Leal dos Santos. Ambos vieram de Palmital no Paraná para Guaramirim para sessão do tribunal do júri, referente a um caso ocorrido em Guaramirim em 28 de Maio de 2015. Na ocasião, foi morto com golpes de sarrafo, Floriano Soares de 28 anos. A sessão começou por volta das 9 horas da manhã e perdurou até as 17 horas. Por diversos momentos o “clima esquentou” quando a promotora Graziele dos Prazeres Cunha discordava dos elementos de defesa do advogado Benedito Prado Rocha, e o interrompia, causando bate bocas que por vezes tiveram de ser interrompidos pela juíza que presidiu a sessão, Fabíola Duncka Geiser. Para a promotora, a autoria de ambos era certa, e o crime teria sido cometido por motivo fútil. Já para a defesa, o autor teria agido em legítima defesa, tendo partido para cima da vítima após o mesmo ter cantado e supostamente estuprado sua esposa, versão que mesmo após o veredito do júri, a promotora contesta. Por apenas um voto de diferença, Josnei Batista foi absolvido das acusações e Josmar foi considerado culpado pela morte, tendo pena fixada em 12 anos de reclusão em regime fechado.
Como a seis meses eles já estão respondendo em liberdade, ele saiu do fórum em liberdade para recorrer, e voltou para o Paraná onde estão vivendo. Para a promotora o ministério público está parcialmente satisfeito. “Essa história de estupro não existiu, estamos parcialmente satisfeitos com essa decisão. Ainda vou analisar se vou recorrer da pena” relatou Graziele. Já Benedito, que chegou a mandar a promotora “estudar para ser juíza” durante as discussões e disse que “ ela quer prender todo mundo” em entrevista a nossa reportagem, confirmou que irá recorrer da pena.
Relembre o caso
Segundo relato da Policia Militar, que ouviu testemunhas, todos participavam de uma festa, durante todo o dia, até que os dois irmãos se desentenderam com a vítima e a agrediram com sarrafos de madeira. Os Bombeiros Voluntários foram chamados para a tender a ocorrência, mas não houve tempo. Floriano Soares sofreu traumatismo craniano e morreu no local.  Policiais militares conversaram com as esposas dos dois irmãos, que contaram que ambos chegaram em casa, pegaram roupas e dinheiro e fugiram.