Na última sexta-feira (16), a investigação policial de um homicídio levou à apreensão de mais de R$ 4 milhões, incluindo notas de dólar e euro, em Porto Belo, no Vale do Itajaí. Na ocasião, um homem, de 52 anos, foi morto a tiros em via pública.

Ao tomar conhecimento do assassinato, a Polícia Civil se deslocou ao local. Em conversa com familiares, policiais militares e populares, verificou-se que logo após o homicídio um familiar da vítima entrou no veículo e retirou uma pochete do interior. Ao ser indagado, ele assumiu a retirada, mas se negou a entregar o objeto.

Em consulta aos sistemas policiais, houve a confirmação de que a vítima já havia cumprido pena por tráfico de drogas, assim como dois dos seus familiares que estavam no local.

Diante da fraude processual, a Delegada de Polícia solicitou a expedição de mandado de busca e apreensão na residência do homem assassinado, enquanto uma equipe de policiais civis efetuava campana nas proximidades do imóvel. A representação foi analisada pelo Ministério Público e deferida pela Justiça.

Com a autorização, policiais civis, com o apoio da Polícia Militar, foram até a residência e encontraram o parente da vítima, que havia retirado os objetos do veículo no local do crime, saindo. Durante a abordagem, os agentes apreenderam uma pistola municiada, a pochete, telefones celulares, bolsas e uma mala com dinheiro. Os policiais civis contaram as cédulas por mais de três horas e concluíram que havia a quantia de R$ 4,13 milhões.

O parente, de 21 anos, foi preso em flagrante pelos crimes de fraude processual e porte ilegal de arma de fogo. De acordo com as informações obtidas até o momento, a suspeita é que o homicídio tenha ocorrido por acerto de contas relacionado ao tráfico de drogas.

As investigações continuam para apurar a autoria do assassinato e a origem dos valores apreendidos.