Segundo Altamir,  investigação é tratada de forma sigilosa | Foto: Fábio Junkes/OCP News
Segundo Altamir, investigação é tratada de forma sigilosa | Foto: Fábio Junkes/OCP News

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) se pronunciou sobre uma ação da Polícia Federal (PF) realizada em Jaraguá do Sul.

O gerente executivo do INSS na região Norte de Santa Catarina, Altemir Cordeiro, garantiu, nesta quarta-feira (15), que nenhum funcionário da agência na cidade está envolvido no esquema investigado pela PF.

Cordeiro afirmou que os agentes da Polícia Federal realizaram a busca e apreensão na casa de um dos intermediários do esquema nesta terça-feira (14).

Segundo ele, o alvo da ordem judicial é uma pessoa que fica agenciando a documentação, ou seja, o suspeito pode integrar a quadrilha e pode estar agindo em Jaraguá do Sul.

A Operação Octopus tem o objetivo de desarticular uma quadrilha especializada em fraudar aposentadorias por idade, por tempo de contribuição e pensões por morte.

A investigação é tratada de forma sigilosa e nem o gerente executivo ou a Superintendência do INSS em Santa Catarina sabe ao certo se houve processos fraudados em Jaraguá do Sul.

“Não houve em nenhum momento a constatação da participação de servidores na investigação. Isso é bom deixar claro porque, na nota que a Polícia Federal soltou, houve a informação de que havia servidores do INSS envolvidos", ressalta Cordeiro.

Segundo destacou, em alguma gerência isso pode ter acontecido, mas não tem conhecimento de casos desse tipo.

"Se houvesse algum servidor daqui envolvido, viria um comunicado pra eu bloquear imediatamente o acesso desse servidor ao sistema”, completa.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?