O Tribunal do Júri da comarca de Laguna, em sessão na última quarta-feira (23/11), condenou um homem de 42 anos pelo homicídio triplamente qualificado de sua ex-namorada a 16 anos de reclusão. O crime aconteceu no bairro Magalhães, cidade-sede da comarca, na madrugada de 20 de janeiro de 2018.

Segundo a denúncia, o réu foi até o apartamento da vítima, de forma premeditada e valendo-se do acesso que tinha ao local e, após dissimular contato afetuoso com a vítima, teria a estrangulado com uma blusa, causando sua morte por asfixia. O corpo da mulher de 50 anos foi encontrado somente quatro dias após os fatos, por vizinhos, e já em estado de decomposição.

O Conselho de Sentença, presidido pelo juiz Renato Müller Bratti, reconheceu que o réu praticou o crime contra a ex-companheira por motivo fútil, por estar incomodado com o término do relacionamento conturbado que mantinham, mediante dissimulação e contra mulher em razão da condição do sexo feminino, em contexto de violência doméstica e familiar. Ele foi condenado por homicídio triplamente qualificado a pena de 16 anos de reclusão, em regime inicial fechado. O processo tramita em segredo de justiça. ​