O secretário de Estado da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, atribuiu a redução dos índices de violência no primeiro trimestre deste ano, em Santa Catarina, às ações de curto, médio e longo prazo planejadas em conjunto com o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior, e o delegado-geral da Polícia Civil, delegado Marcos Flávio Ghizoni Júnior. Os três participaram da reunião do Conselho da Acij (Associação Empresarial de Joinville) na noite desta segunda-feira (2) em Joinville. Além deles, também esteve no encontro a secretária de Assistência Social, Romanna Remor. Para o secretário, a integração das áreas de assistência social dos municípios e do Estado aos trabalhos desenvolvidos pelas forças de segurança também é importante. “Não adianta contarmos apenas com a repressão, necessitamos atuar com a urbanização de determinadas áreas e, claro, com a assistência social”, acrescentou Alceu de Oliveira. O comandante da Polícia Militar, Araújo Gomes, reforçou que é preciso garantir a percepção de proteção à população, com a presença constante do policiamento nas ruas e com operações que tragam resultados efetivos para a sociedade. Neste sentido ele confirmou que deve manter as operações ostensiva que vem sendo feitas na cidade.
Comando da PM diz que operações ostensivas nas cidade deve continuar | Foto Divulgação
A diretoria da Acij externou preocupação com a falta de efetivo e equipamentos, mas depositou confiança na equipe que assumiu recentemente o comando da Segurança no Estado. Nos últimos 30 dias, os secretários de Segurança e de Assistência Social, além do comandante da PM e o delegado-geral da Polícia Civil, já realizaram duas reuniões com prefeitos neste sentido. A primeira foi em Florianópolis, com Gean Loureiro. A outra, com o prefeito de Joinville, Udo Döhler, ocorreu na tarde desta segunda-feira.

Criminalidade

Nos primeiros três meses de 2018, houve redução de 19,5% no número de homicídios, comparado com igual período do ano passado, segundo dados da Secretaria do Estado da Segurança Pública. No ano, foram 227, contra 282 em 2017. As reduções mais significativas de homicídios foram em Florianópolis, com 33 (50 em 2017); Joinville, com 25 (38); Chapecó, com 6 (11); e Blumenau, com 11 (15 em 2017). Em 75,4% dos casos, os autores dos homicídios tinham passagem policial e, entre as vítimas, 69,2% tinham passagem pela polícia. Dos 295 municípios catarinenses, em 74,9% não houve homicídios.