Instrução de levantamento, deslocamento e suspensão de carga | Foto Divulgação/CBVJ

Instrução de levantamento, deslocamento e suspensão de carga | Foto Divulgação/CBVJ

O Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville formou, esta semana, uma equipe especializada para operações de busca e resgate em estruturas colapsadas (BREC) – nível intermediário. Dezesseis bombeiros voluntários e do quadro efetivo participaram de cinco dias de instrução, totalizando 40 horas/aula entre teoria e prática, com instrutores próprios e de Caracas, Venezuela.

Este é primeiro treinamento de BREC em Joinville. A corporação já tem outros bombeiros especializados para atendimento de ocorrências dessas características que se aprimoraram em cursos oferecidos no Chile, Argentina e em outras cidades de Santa Catarina. Agora, passará a contar com um time de maior de especialistas para emergências que envolvam estruturas colapsadas por abalos sísmicos, incêndios, falhas estruturais ou explosão de gás, atentados, deslizamentos de terra, entre outros. Nessas ocorrências também contam com o apoio de cão de buscas.

Intercâmbio entre instrutores

O instrutor do CBVJ, voluntário na corporação há 21 anos e há 17 instrutor também na Escola de Bombeiros do Texas, Piracy Armando, diz que o treinamento de bombeiros para atuar nesse tipo de desastre ganhou maior importância nos Estados Unidos na década de 1980 e, de lá para cá, os norte-americanos se destacam no desenvolvimento e emprego de técnicas de resgate e salvamento. Embora também sejam empregas no Brasil, a operação ganhou maior relevância com a realização da Copa da FIFA, em 2014 e Olimpíadas, em 1016, no Rio de Janeiro.

“Neste curso os resgatistas conhecem como as técnicas da BREC são aplicadas, de forma a fazer o resgate da vítima com eficiência e segurança para a própria equipe de socorro, e de forma padronizada”, observa. “A equipe de Joinville vai usar as mesmas técnicas hoje aplicadas pelo Exército norte americano”, diz. O curso em Joinville foi promovido por meio de intercâmbio entre os instrutores.

Instrução de rompimento e penetração em diferentes tipos de superfícies | Foto/ Divulgação CBVJ

Nos últimos anos, Joinville passou por duas ocorrências que envolveram estruturas colapsadas: a primeira, em janeiro de 2016, quando houve o desabamento da laje do terceiro piso onde estavam instaladas as caixas d’água da empresa FGM Produtos Odontológicos; depois, em maio deste ano, ocorreu o desabamento de parte da laje de uma residência, no bairro Guanabara. Em ambos os desastrem houve mortes.

Em situações de desastres no Estado, a equipe do CBVJ poderá integrar as forças de resposta, como já ocorre com grupos de outras corporações. A estrutura de atendimento da corporação também será ampliada: a equipe de BREC vai atuar ao lado das de resgaste veicular, prevenção e combate a incêndio, resgate em altura, aquaviário e atendimento pré-hospitalar.

Quem são os instrutores do curso da BREC em Joinville

Piracy Armando: bombeiro voluntário na corporação de Joinville há 21 anos onde atua também como coordenador e instrutor de cursos de combate a incêndio, produtos perigosos, resgate veicular e colapsados. Na Escola de Bombeiros do Texas, onde participa há 17 anos – é o segundo instrutor mais antigo do Brasil – é responsável pela instrução contra incêndio para os bombeiros municipais.

José Anibal Pereira: o venezuelano é resgatista dos bombeiros de Caracas e instrutor voluntário no curso de colapsados na Escola de Bombeiros do Texas.

German Antonio Reques Espinoza: resgatista e bombeiro em Caracas.

*Com informações da assessoria de imprensa

 

LEIA MAIS: 

Caminhada de valorização à vida acontece nesta sexta-feira em Joinville

Escola Pública de Trânsito leva conscientização a alunos da rede municipal de Joinville

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?