A Polícia Civil ouviu, nesta segunda-feira (28), Paulo Hening, apontado como principal suspeito de ter matado a ex-companheira Thalia Ferraz, em Jaraguá do Sul.

Após três dias foragido no Paraná, o homem de 42 anos se entregou nesta manhã à Delegacia de Polícia Regional da cidade, e, durante interrogatório, confessou o crime cometido no último dia 24 de dezembro.

A informação foi confirmada pelo delegado regional de Jaraguá do Sul, Fabiano Silveira, em coletiva de imprensa nesta tarde, que ainda contou a presença de Roberta França, titular da DPCAMI, Caleu Henrique Gomes, da Delegacia da Comarca que iniciou a investigação, e Diones de Freitas, delegado da DIC de Jaraguá do Sul.

As investigações estão em andamento e sob sigilo. Por conta disso, detalhes do inquérito policial, motivação e circunstâncias do crime serão mantidos em segredo.

Com os depoimentos de testemunhas presenciais e referenciais, do autor do crime, e os laudos de exame de local de crime do Instituto Geral de Perícias (IGP), o inquérito policial será entregue ao Poder Judiciário e Ministério Público, o que deve ser concluído no prazo de 30 dias.

Enquanto isso, Hening fica recolhido no Presídio Regional de Jaraguá do Sul. A prisão temporária foi decretada pela Justiça de Jaraguá do Sul logo após o assassinato.

O crime

O crime ocorreu no dia 24 de dezembro, véspera de Natal, no bairro Rio Cerro I. Após ameaças pelo telefone, Paulo Hening foi até a casa de Thalia Ferraz, que morava ao lado, invadiu a residência e efetuou vários disparos com uma pistola calibre .380.

A vítima teria tentado correr para o quarto, mas ele continuou atirando até atingi-la na altura do tórax.

Thalia não resistiu aos ferimentos e morreu no local, na frente de dois sobrinhos, de 14 e 8 anos. Já o acusado fugiu em uma camionete Amarok branca e estava foragido até então.

 

Telegram Jaraguá do Sul