Em processos que tramitam em segredo de justiça na 2ª Vara Criminal da comarca de Joinville, o juiz Felippi Ambrósio julgou ações envolvendo 31 pessoas entre advogados, agentes públicos e internos do sistema prisional, na operação batizada de “Sob Encomenda”.

Nas sentenças, com mais de 500 páginas, os réus foram condenados a penas que variam entre 4 e 38 anos de prisão, a serem cumpridas em regime fechado e semiaberto, a maioria sem direito a recorrer em liberdade. Somadas, as reprimendas ultrapassam os 350 anos de reclusão.

 

 

A investigação iniciou em 2020 e revelou como funcionava a entrada de drogas e celulares nos presídios de Santa Catarina.

Conforme a Justiça, nos autos há provas substanciais, com diálogos que demonstram sintonia entre os acusados - inclusive advogados que atuavam como canal de transmissão entre faccionados do sistema carcerário -, análises de documentos, comprovantes de pagamentos, depoimentos e interceptações telefônicas.

Em pouco mais de um ano da deflagração da operação (4/8/2021), foram oferecidas até o momento 12 denúncias que envolvem 49 pessoas, sendo que sete processos já foram julgados e outros quatro tiveram a instrução concluída.

Os réus foram julgados em primeira instância pela prática dos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção ativa e passiva, associação criminosa e inserção de telefones celulares em estabelecimentos prisionais.

Fonte: TJSC