Uma pesquisa de amostragem encabeçada pela Prefeitura de Criciúma, e realizada pelo Instituto de Pesquisa Catarinense (IPC) em parceria com a Unesc, apontou um panorama do que pode ser, em média, o número de pessoas infectadas pela Covid-19 na cidade.

O resultado do trabalho científico foi apresentado no final da tarde desta sexta-feira em live realizada pela Prefeitura.

De 500 coletas realizadas com testes rápidos, em todas as regiões de Criciúma, 11 deram positivas ao coronavírus.

Segundo o matemático, com doutorado em Ciência, Kristian Madeira, que atuou na pesquisa, esses 11 casos representariam 2,2% do total de entrevistados, o que resultaria, em proporções, em cerca de 4.735 casos de Covid-19 na cidade.

A boa notícia é que então 97,8% da população não teria o novo vírus e 0,22% já estaria curada.

“Desses 11 positivados, somente um está curado. A margem de erro vai de 4.525 a 4.942 casos. Um dado importante é que cerca da metade dos casos encontrados eram assintomáticos. O estudo percorreu todas as regiões de Criciúma, compostas por vários bairros. Os resultados são ainda preliminares, pois a pesquisa ainda não foi fechada e os dados não foram tabulados. Trata-se de um processo de amostragem rigoroso pautado na ciência, num estudo sério e não no 'achismo', que vem para auxiliar a tomada de decisão dos nossos gestores”, explicou.

A pesquisa também aponta quais dessas pessoas possuem comorbidades.

As pessoas positivadas, segundo ele, imediatamente foram avisadas e orientadas a permanecer em isolamento.

Por regiões

  • 3 na região do Centro
  • 3 na região da Santa Luzia
  • 2 na região da Próspera
  • 1 na região do Rio Maina
  • 1 na região do Pinheirinho
  • 1 na região da Quarta Linha

Por sexo

A predominância foi do sexo feminino, totalizando nove casos.

As únicas faixas etárias que não trouxeram resultado positivo foram a de zero a quatro anos e de 45 a 59 anos.

Por faixa etária

  • Quatro casos na faixa de 25 a 34 anos
  • Três casos na faixa de 60 ou mais
  • Um caso na faixa de cinco a nove anos
  • Um caso na faixa de dez a 14 anos
  • Um caso na faixa de 15 a 24 anos
  • Um caso na faixa 35 a 44 anos

De forma semanal

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, deseja fazer, semanalmente, a pesquisa e, para isso, foi adquirida uma quantidade significativa de testes que atenda a demanda.

“É complicado trabalhar sem indicador. Temos que trabalhar com perspectivas e informações estratégicas. Acredito ser uma pesquisa, por amostragem, inédita no Brasil”, colocou.

A chefe do Laboratório Municipal, que coordenou as atividades, Andrea Goulart Oliveira, assegurou a efetividade dos testes.

“Compramos um kit, da melhor qualidade, que aponta se a pessoa está curada ou se o vírus ainda está com ela, mesmo sendo assintomática. A pesquisa é muito importante, ainda mais em uma época de pandemia. Houve engajamento de todos os envolvidos e realizamos um mutirão para que tudo fosse feito da forma mais rápida e satisfatória possível”, finalizou.

Pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen-SC), Criciúma tem 97 casos positivados e 29 já curados da Covid-19.