Em alusão ao movimento Julho Amarelo, mês de combate e prevenção às hepatites virais, a Secretária de Saúde de Jaraguá do Sul deu início nesta quinta-feira (1º), a uma ação de vacinação e testagem contra a Hepatite, em frente ao Terminal Urbano, no Centro.

A iniciativa, que visa conscientizar a população para evitar novos casos da doença, segue até sábado (3).

Uma Estação Saúde foi montada no local para a realização de exames para as hepatites B e C, além de vacinação contra o vírus. Quem tiver interesse pode fazer o teste e se vacinar das 10h às 20h, nesta sexta-feira e, das 8h às 18h, no sábado.

 

 

De acordo com gerente de Vigilância Epidemiológica, Fabiane da Silva, a campanha de vacinação teve início no começo do mês e será encerrada neste fim de semana. No entanto, na semana que vem as unidades de saúde vão realizar o "Dia D" para vacinas e testagem nos pacientes.

De janeiro a julho deste ano, foram registrados 21 casos novos de hepatite B e C em Jaraguá do Sul, com metade dos portadores dos vírus recebendo medicação. Até hoje, cerca de 800 casos foram notificados no município.

"Os testes são de extrema importância por que é a única forma de saber se há a pessoa está infectada. Caso o resultado seja positivo, o paciente é encaminhado para o tratamento no programa municipal de Hepatites virais", reforça Fabiane.

Segundo dados do Sinan (Sistema de Informação de Doenças de Notificação Cumpulsórias), há uma predominância do vírus B no município. A notificação de paciente com vírus B representou 57 casos em 2015 e 37 no ano de 2017.

No entanto, em 2018 houve um aumento de 45%, chegando a 57 casos notificados de pacientes com o tipo B.

As hepatites B e C

De acordo com informações do Ministério da Saúde, mais de 70% dos óbitos por hepatites virais no Brasil são decorrentes da Hepatite C, seguido da Hepatite B (21,8% e A (1,7%). Em 2017, o país registrou 40.198 casos novos.

Por se tratar de uma doença silenciosa, podendo aumentar os riscos da infecção e se tornar crônica, a secretaria de saúde reforça a importância de realizar o teste rápido nas Unidades Básicas de Saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, o tipo B é transmitido pelo esperma e secreção vaginal e pelo contato com sangue. Já o vírus C pelo contato com sangue.

A infecção pode acontecer pelo compartilhamento de objetos contaminados, uso de materiais não esterilizados para colocação de piercing ou confecção de tatuagens, por acidentes com exposição a materiais biológicos e através de relações sexuais.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger