Todos os municípios da microrregião fecharam 2015 com o orçamento abaixo do que havia sido projetado, mas o peso da queda nas arrecadações teve consequências diferentes para cada uma das Prefeituras.
Jaraguá do Sul e Corupá tiveram que jogar o pagamento de despesas para este ano, com déficit de R$ 28 milhões e R$ 2 milhões em receitas próprias, respectivamente. Guaramirim, com um superávit de 2014, fechou o ano com R$ 341 mil em caixa. Schroeder teve diferença positiva de R$ 36 mil entre o orçamento total e as despesas. Massaranduba, afirma o prefeito, terminou o ano com R$ 3,6 milhões em caixa.
Se 2015 não foi fácil para ninguém, 2016 começa com o alerta máximo. As administrações encerram suas gestões e não podem deixar despesas pendentes. O Portal das Transferências Constitucionais, mantido pela Fecam (Federação Catarinense dos Municípios), até o início da semana sinalizava a queda de 13,7% nos repasses para os municípios da Amvali – que incluem Barra Velha e São João do Itaperiú na soma. No mesmo período do ano passado, chegaram aos cofres R$ 1,9 milhões e, neste ano, R$ 1,6 milhões.
51,57%
É a média de comprometimento da folha de pagamento nos cinco municípios da região. A lei estabelece um limite de 54%. O sindicado que une os servidores das cinco Prefeituras pede reajustes nos salários, o que tem causado dúvidas diante dos pedidos e da necessidade de cumprimento em regra do Tribunal de Contas.
CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO PARA ABRIR EM TAMANHO REAL
pagina 6asasasas