As edições do jornal O Correio do Povo publicadas no período entre 1921 e 1950 já estão disponíveis para pesquisa online na Hemeroteca Digital Catarinense. Para acessá-la, basta entrar no site e fazer a busca pelo nome do jornal ou da cidade. Na tarde de ontem (28), o presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Rodolfo Pinto da Luz, esteve na sede do OCP para fazer a entrega do material digitalizado ao presidente da Rede, Walter Janssen Neto, e ao conselheiro editorial e colunista Nelson Pereira. Também estiveram presentes a administradora da Biblioteca Pública de Santa Catarina, Patrícia Karla Firmino, e o coordenador técnico da Hemeroteca, Alzemi Machado, além dos escritores Carlos Schroeder e João Chiodini.
Quer receber as reportagens do OCP Online no WhatsApp? Basta clicar aqui
A Hemeroteca Digital Catarinense funciona na Biblioteca Pública Estadual e, conforme o presidente da Fundação, possui 815 jornais catarinenses digitalizados. No total, 1,6 mil periódicos já circularam no estado e o OCP é o mais antigo em atividade. Rodolfo Pinto da Luz ressalta que o trabalho terá continuidade para que todo o acervo seja digitalizado e disponibilizado à população.
Há aproximadamente seis meses, o site da Hemeroteca recebeu um sistema de contagem de visitas, que identificou mais de 6 mil acessos, inclusive de outros países, como Estados Unidos, Itália, Alemanha, Portugal, Indonésia, Irlanda e Israel. “Portanto, ela oportuniza o acesso ao mundo todo e de uma forma qualificada”, ressalta o presidente da Fundação Cultural. “A partir de agora, o OCP já está nesse ranking e é possível acessar edições de 1921 a 1950”, complementa Patrícia.
Pereira destaca que o primeiro lote de digitalização do acervo histórico já mostrou, com riqueza de detalhes, “a possibilidade de recontarmos nossa quase centenária história, que é a história de Jaraguá, aos nossos leitores”.
A presença dos escritores Carlos Schroeder e João Chiodini na entrega do material formaliza o início das pesquisas para produção do livro sobre o centenário do O Correio do Povo, com coautoria de Nelson Luiz Pereira.
Identidade cultural
O trabalho de seleção e produção do acervo digital é feito pelo coordenador técnico da Hemeroteca, Alzemi Machado. Ele enfatiza que a busca pelos jornais pode ser feita em qualquer local, a qualquer hora e isso tem uma grande importância social, política e cidadã. Para ele, um jornal como O Correio do Povo, que tem 98 anos de história agregada a uma região importante do cenário catarinense, sendo um dos mais antigos em circulação do Brasil, não poderia ter sua memória esquecida. “Ele (o OCP) tem uma importância muito grande para nós. Além disso, é um jornal que possui uma riqueza linguística, porque em determinado período foi publicado em português e em alemão. Isso mostra a identidade cultural”, aponta.
Hoje, a Hemeroteca possui 815 títulos. Do século 19, aproximadamente 98% dos jornais estão digitalizados e disponíveis para consulta e transferência de arquivos. Machado explica que é possível montar uma biblioteca eletrônica a partir desses arquivos. “São mais de 200 mil páginas digitalizadas, mais de 35 mil edições de jornais catarinenses e isso a consolida como uma das maiores bibliotecas digitais do Brasil”, assegura.
A tendência é que até o fim do ano a digitalização atinja as edições dos anos 80 e seja totalmente concluída até o centenário do OCP — celebrado no dia 10 de maio de 2019.