Em comunicado enviado ao mercado, a Celesc informa os dados gerais relativos ao consumo de energia em sua área de concessão no primeiro trimestre de 2018. Quando comparado ao mesmo período do ano passado, embora o panorama geral demonstre estabilidade no mercado energético catarinense, a classe industrial registrou aumento de 5,5% no consumo elétrico — alavancado pela retomada do crescimento econômico do Estado, já sentido pela distribuidora em seu balanço de 2017 —, seguida pelos consumidores rurais, com aumento de 2,7% entre janeiro e março deste ano. Por outro lado, a demanda nas classes residencial e comercial tiveram redução de 6,1% e 2,8%, respectivamente. Para o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, entre os fatores que levaram a tal resultado estão as temperaturas mais amenas registradas durante a temporada de verão que diminuíram, por exemplo, a necessidade do uso do ar-condicionado nas unidades consumidoras. De acordo com Siewert, a previsão é de que o mercado total da Companhia cresça cerca de 3% este ano. “Apesar de registrarmos redução de 4,1% no uso de energia entre os clientes cativos nesse período, devido à permissão dada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que clientes com demanda entre 0,5MW e 3MW possam migrar do segmento cativo para o livre, estamos otimistas com o panorama geral de consumo para o ano, puxado especialmente pela indústria”, afirma. Ainda de acordo com o levantamento, o consumo livre cresceu 9,7% no perfil industrial e 15,2% no comercial, no primeiro trimestre. Novidade no site da Celesc Para que cidadãos, prefeituras e órgãos municipais tenham mais acesso aos dados sobre o consumo de energia no estado de Santa Catarina, a Celesc passa a disponibilizar em seu site o histórico deste consumo. Os interessados poderão acessar tanto dados regionais, de acordo com as Agências Regionais da Empresa, quanto municipais. “Esta é uma importante ferramenta para Prefeituras, associações empresariais e demais órgãos para planejar a expansão do sistema elétrico, por exemplo”, explica o diretor Comercial, Eduardo Cesconeto de Souza. Para saber mais, basta acessar este link. *Com informações da assessoria de imprensa da Celesc